quinta-feira, 31 de agosto de 2006

  Happy Blogday!

Meu tempo está se esgotando (já é quase setembro :P), mas mesmo assim não queria ficar sem postar minha lista de 5 indicações de blogs:

Do blogroll

Todos os blogs que estão ali são bons, do contrário não estariam ali... Parece meio injusto escolher só 5, mas... se você quiser visitar só 5, vá ao Blog de Lynz, e Blog del Ciervo Ermitaño (ambos são de rapazes da Espanha, eles falam de tudo e os posts são muito bons), Pensamentos escassos, Idéias ao vento, Garotas Zipadas, Argamassa... Ah, enfim, TODOS são excelentes e mereciam ser listados aqui (não é à toa que estão no blogroll :P).
(Não coloquei os links de propósito. Assim vocês precisam se dirigir até o blogroll, e de repente podem acabar descobrindo um blog novo sem querer :)


De fora do blogroll, mas que costumo ler também

Ponto Media
John Battelle's Seachblog
Societiq
Intermezzo
eCuaderno

Todos são estrangeiros e falam de comunicação, jornalismo e/ou novas tecnologias. Precisa falar mais? :)

Mais informações sobre o Blog Day.
Technorati tag:

Marcadores:




quarta-feira, 30 de agosto de 2006

  Too much information

Infelizmente, não se fazem mais dias-Unibanco¹ como antigamente. Míseras vinte e quatro horinhas parecem cada vez menos suficientes para encaixar as milhares de tarefas do dia-a-dia. Por isso que o blog acaba ficando meio renegado. E o pior de tudo é que depois do feriado da semana que vem começam as minhas provas, uma atrás da outra, nas duas faculdades concomitantemente. Se eu não explodir (excesso de informação... altas quantidades de processamentos de dados... um HD explodiria!), o blog continuará com a “programação normal” (se bem que nunca consegui manter a unidade temática... posso considerar que o “normal” é o caos atual?), mas com postagens (bem) mais esparsas. Ou então no ritmo que está agora (se bem que se fosse para continuar no mesmo ritmo que está, este post perderia totalmente o sentido...).

¹ Durante boa parte da minha infância eu tentei entender por que o Unibanco disponibilizava 30 horas por dia a seus clientes, ao passo que os demais bancos forneciam no máximo as reles 24 horas de um dia normal. O motivo é sem graça :/ Quer dizer, eles foram relativamente criativos ao escolher o nome (ou slogan, sei lá) “Unibanco 30 horas”. Mas a justificativa é tri sem graça: são 6 horas com o banco aberto + 24 horas de atendimento pelo telefone (e, mais recentemente, online). A explicação faz perder toda a mística por trás da idéia de que quem tem conta no Unibanco possui(ria) dias mais longos. Mas, de qualquer modo, queria que meus dias tivessem pelo menos 30 horas. Ou 48 (vida dupla, dias duplos!). Se bem que nesse caso não iria custar nada arredondar para 50 horas para facilitar os cálculos :) (50 horas por dia, 30 dias por mês = 1500 horas por mês \o/). Pena que o World Jump Day não é uma idéia factível/não deu certo (see results). Daí era só pular um zilhão de vezes e teríamos dias mais longos aqui na Terra :D (Inédito! Minha “nota de rodapé” – ou o que teoricamente representaria uma – é maior que o próprio post!)




segunda-feira, 28 de agosto de 2006

  Estudante de Direito

Alguém me explica em que ponto deste ano me tornei uma estudante de Direito? Eu sempre preferi o Jornalismo (isso é fato). Mas desde algum momento do início deste ou do finalzinho do último semestre, eu me tornei uma estudante de Direito completa. Com direito a estágio na Justiça, bolsa em projeto de extensão, e participação na representação discente! Mais um pouco e eu começo a fazer concursos e a citar legislação em conversas da vida diária o.0 A perspectiva é assustadora. Quase não sobra tempo para as leituras furtivas de livros reacionários sobre o Jornalismo nos interstícios entre uma atividade jurídica e outra...

Marcadores:




sábado, 26 de agosto de 2006

  O Orkut e a Justiça

Rumores diziam que a Google esteve perto de ter de fechar suas operações no Brasil esta semana por conta do impasse Orkut X Ministério Público. Não sei se foram só rumores. Mas ao entrar no Orkut a gente se depara com o seguinte aviso:

E as mudanças não se limitam ao aviso: os termos de uso do site de relacionamentos também mudaram. Agora, a maioridade é obrigatória (e antes também não era??), e o site não mais se responsabiliza por conteúdo ilegal colocado por usuários. Também há políticas para coibir a criação de perfis falsos, como a impossibilidade de permitir dois nomes de usuário iguais, ou impedir a criação de perfis com nomes protegidos por marcas comerciais ou por lei de direitos proprietários.

Dos termos de uso do site:
“International users agree to comply with all local rules regarding online conduct and acceptable content, including laws regulating the export of data from the United States or your country of residence. You are solely responsible for your conduct and any data, text, information, graphics, photos, profiles, audio and video clips, links and other content ("Materials") that you submit, post, and display on the orkut.com service”

Ou seja: use seu Orkut por sua própria conta e risco. Os usuários agora estão sujeitos à legislação local de seu país de origem. (Essa é uma indireta bem direta para o Ministério Público, huh?)

Marcadores: ,




  O ex-planeta Plutão

Plutão já não é mais um planeta. A decisão de rebaixá-lo foi tomada nesta quinta-feira, em Praga, no plenário da 26ª Assembléia Geral da União Astronômica Internacional. Também foi resolvida a polêmica que envolvia outros três corpos celestes candidatos a novos planetas do sistema solar. Plutão, o tal de UB313 (“Xena”, e sua lua Gabrielle :P) e Ceres receberão uma classificação própria: planeta anão. Uma terceira categoria de elementos é a de pequenos corpos (como asteróides, cometas, satélites naturais...).

“O rebaixamento de Plutão será uma das ausências mais sentidas nos livros de ciências do ensino básico, ao lado da separação entre as repúblicas de Sérvia e Montenegro, na Europa, reconhecida em julho” (da Folha Online)
Triste, não? Mas parece que as mudanças recentes no planeta Terra, e em sua relação com os demais planetas, ainda não estarão presentes nos livros didáticos brasileiros de 2007. Há muita burocracia para fazer alterações desse tipo. Entretanto, nada impede que uma universidade formule perguntas do tipo “Quais são os 8 planetas do Sistema Solar?” já na edição 2007 de seus concursos vestibulares.
Consolação absurda: ao menos ficou mais fácil para decorar o nome dos planetas.



  As pessoas mais altas se dão melhor na vida

Os primeiros resultados de um estudo americano mostram que as pessoas mais altas são mais espertas e têm mais chances de receber maiores salários. Isso se daria pelo fato de que elas possuem uma tendência maior a procurar empregos mais “a sua altura”. “Tall people are just smarter than their height-challenged”, diz a nota da Reuters, publicada ontem.
O estudo “Stature and Status: Height, Ability, and Labor Market Outcomes” foi conduzido durante vários anos pelas pesquisadoras Anne Case e Christina Paxson para o National Bureau of Economic Research. Mas mesmo a seriedade da pesquisa não evitou que a notícia sobre os seus primeiros resultados fosse parar na categoria “Odd News” do Yahoo! :P
-- Então quer dizer que meus menos de 1,60m de altura poderão arruinar minha vida profissional? Fala sério! Talvez a altura possa influir um pouco na posição que a pessoa irá ocupar na vida, mas esse provavelmente seja apenas um dos fatores que irão determinar um futuro profissional bom ou ruim – o resto inclui empenho pessoal, capacidade de aprender e reter conhecimentos, peso (por que não?), ambiente de criação, oportunidades...




terça-feira, 22 de agosto de 2006

  Literatura e globalização

Encontrei algo bem melhor para fazer na não-aula de Civil de hoje. Ao invés de prestar atenção na matéria (e já que eu nunca entendo nada mesmo...), aproveitei o tempo livre (não foi uma solução brilhante... eu poderia ter ficado em casa dormindo...tsc) para ler um texto de Leyla Perrone-Moisés sobre a literatura na era da globalização. O texto faz parte do livro “Altas Literaturas”. Meu único contato anterior com a autora tinha sido ao ler “Aula” de Roland Barthes (a edição que li continha um posfácio muito bom assinado pela autora). Leyla Perrone-Moisés é professora da USP e é considerada a maior especialista em Roland Barthes do país.
Enfim, no texto que li, a abordagem da autora sobre a literatura em tempos de globalização é um tanto apocalíptica, mas com uma certa “luz no fim do túnel”: no fundo, o futuro do livro (ainda) não está (totalmente) perdido (ufa!). Mas é preciso tomar uma atitude quanto a isso... Para ela, tanto a cultura de massa e a alta cultura estariam em perigo. Ambas, a seu modo, estariam levando a uma verdadeira des-cultura. Prova disso é que até mesmos os grandes autores já estariam produzindo, mesmo que inconscientemente, obras para serem consumidas pelas massas. A mídia seria, como sempre, a grande vilã da história.
Mas, enfim, a idéia central (dela, e de todo mundo que critica o assunto) é a de que globalização estaria levando a uma uniformização e padronização dos gostos. Ao invés de unir os povos (em busca de um denominador comum), a globalização econômica estaria levando a uma unificação do consumo (todos consomem o que um só produz). E isso também poderia ser verificado na literatura. (Pelo menos ainda há esperança :P)
Não sei se entendi direito a proposta da autora, mas o bom foi ter tido a chance de, ao menos por alguns instantes, poder esquecer completamente que faço Direito (mesmo estando dentro de uma sala de aula do curso... quebra de sintagma perfeita!). Não é que o Direito seja chato em si, mas, sei lá, Letras parece ser bem mais interessante (e divertido).
Em tempo: já estou escolhendo o livro de amanhã, para a não-aula de Hermenêutica. Aceito sugestões :) Ler coisas interessantes é definitivamente melhor do que ficar em casa dormindo. Ao menos assim tenho um motivo para acordar cedo e ir para a aula de manhã, mesmo com temperaturas nada convidativas.

P.S.: Por algum motivo bizarro, todas as matérias legais (no sentido de "divertidas", mas também porque tratam de leis :P) do Direito neste ano são no segundo período do dia (às 10h da manhã) - exceto na quinta-feira, mas isso não vem ao caso. Acordar cedo no inverno para aulas tediosas é praticamente um suplício.




  Diversão eleitoral gratuita

A cada ano, os candidatos inventam novas e mirabolantes maneiras de chamar a atenção dos eleitores na propaganda eleitoral gratuita. Tem que rir para não chorar... Segue abaixo primeiro o vídeo de campanha do Cururu (candidato a deputado federal, vereador daqui de Pelotas), e logo depois há um apanhado de várias propagandas bizarras e/ou criativas. Destaque para o candidato a senador com o número 190 que resolveu aproveitar a situação e associou seu número com uma emergência.







sexta-feira, 18 de agosto de 2006

  Anedota cotidiana baseada em fatos reais

E então eu saio da secretaria da 2ª vara, localizada no último andar do prédio da Justiça Federal, e me dirijo ao elevador. Aperto o botão, e espero. Em seguida, a porta do elevador se abre, e um senhor que estava ali dentro pergunta:

- Vai descer?

Possíveis respostas:
a) Não. Chamei o elevador só para ver se tinha alguém dentro.
b) Opa. Achei que o esse botão era o interruptor da luz. Bem que eu vi que a luz estava demorando em acender.
c) Não, vou pro lado.
d) Pois é, hoje acordei com vontade de ver as nuvens.
e) Que outra opção me resta?
f) Dizem que a gente deve sempre batalhar para subir na vida. Mas dessa vez acho que não há escolha.
g) Depende. Pra onde o senhor vai? Posso ir junto?
h) Vou, e você?
i) Boa pergunta. Sabe que ainda não me decidi para onde vou?

O que eu respondi: um quase inaudível “aham” – nunca subestime o poder de um homem de sobretudo abraçado a dois processos.




quinta-feira, 17 de agosto de 2006

  Novos planetas

Astrônomos também têm senso de humor. O nome provisório de um dos possíveis astros a serem promovidos a novos planetas do Sistema Solar é "Xena" (atual 2003UB313). E próximo a ele há uma lua apelidada de "Gabrielle".

Veja como poderá ficar o Sistema Solar.




quarta-feira, 16 de agosto de 2006

  Da necessidade de sempre citar as fontes

Essa história de sempre citar a fonte em trabalhos acadêmicos, e colocar entre aspas tudo aquilo que é repetido ipsis literis deixa muita gente de cabelo em pé. Mas com tanta cópia, recópia, citação, e citação de citação, como saber quem é o autor do quê? Será que o conceito de autoria não estaria (infelizmente) sendo relativizado?
Em tempo: até o PCC é suspeito de plágio!




  Mobilização em massa

Representantes dos principais meios de comunicação do país (ao menos dos meios que mais atingem as massas – tevê, rádio e imprensa) elaboraram e divulgaram ontem um texto manifestando a insatisfação da mídia com os recentes atos de violência no país. O comunicado, intitulado “Basta à Violência”, convoca a sociedade para ajudar a agir contra a inércia dos agentes públicos (!) e é assinado pela ANJ (Associação Nacional de Jornais), ANER (Editores de Revistas), ABERT (Emissoras de Rádio e Televisão), ABRA (Radiodifusores) e ABRATEL (Radiodifusão, Tecnologia e Comunicações). Ele foi transmitido ontem pela tevê em rede nacional minutos antes do horário eleitoral gratuito.
Hoje, a mensagem foi reproduzida nas capas de vários jornais impressos do país.
Alguns desses jornais são:
Zero Hora (Porto Alegre)
A Tribuna (Santos)
Amazônia Hoje (Belém)
Comércio da Franca (Franca)
Diário do Alto Tietê (Suzano)
Diário do Grande ABC (Santo André)
Diário do Nordeste (Fortaleza)
Diário dos Campos (Ponta Grossa)
Extra (Rio de Janeiro)
Folha de São Paulo (São Paulo)
Gazeta do Povo (Curitiba)
Jornal da Cidade (Bauru)
Jornal NH (Novo Hamburgo)
Mogi News (Mogi das Cruzes)
O Estado de São Paulo (São Paulo)
O Globo (Rio de Janeiro)
O Liberal (Belém)
O Popular (Goiânia)
O Regional (Catanduva)
(Confira as capas no Newseum)

É a mídia assumindo seu papel de quarto poder!? :P

Marcadores:




terça-feira, 15 de agosto de 2006

  15 de agosto

Hoje é o dia mais legal do ano. Dia do Solteiro. Dia da Informática. Independência da Índia. E meu aniversário :) (não necessariamente nessa ordem :P)




segunda-feira, 14 de agosto de 2006

  Ataque à liberdade de imprensa?

Grande sacada essa a do Primeiro Comando da Capital. Ao seqüestrar um jornalista de um importante veículo do país, eles garantiram não só uma intensa cobertura midiática (afinal, Rede Globo é Rede Globo), como também contribuíram para aumentar/espalhar o terror em todo o Brasil. O PCC já conseguiu dominar a mídia. Mais alguns dias e eles estão tomando conta do governo também...

-- em tempos virtuais: o vídeo foi parar no YouTube. Mas foi removido por infringir os termos de uso do site. A página da Wikipedia sobre o PCC já foi atualizada quase 50 vezes desde o seqüestro.

Marcadores:




sábado, 12 de agosto de 2006

  Crise dos 20 anos (?)

Não sei o que houve com a minha “capacidade discursiva”. Mas nunca tinha passado tanto tempo sem postar aqui no blog. Quer dizer, já tinha ficado até mais de uma semana sem dizer nada, mas nunca de forma injustificada. Nunca deliberadamente .
Meus últimos dias foram bastante confusos. Não sei mais o que é prioridade e o que deve ser relegado a um segundo (terceiro, quarto) plano em minha vida. De uns dias para cá (mais especificamente, desde que voltaram as aulas), sinto que sou cada vez menos o que eu era até pouco tempo atrás. (Grande novidade: estou mudando constantemente :P). A inversão de valores (ou o que quer que tenha acontecido) é tal que já nem sei mais o que é importante em minha vida.
Vai ver essa é a tal crise dos 20 anos* :P (um pouquinho antecipada, mas ao menos acho que é assim que me sinto...).

Da revista Época de 7 de março de 2005:

“A crise dos 20, que pode vir aos 22 ou aos 25, é a primeira da vida adulta e retrata a desilusão do jovem com a realidade. Nesse momento, ele vive uma frustração para a qual não enxerga saída.”


* também pode ser a crise dos 25 :P²



terça-feira, 8 de agosto de 2006

  Outra corrente do Orkut

Com um título que é um verdadeiro “estrupo” ao português escrito (“Quem fusa no seu orkut”), recebi esta corrente agora há pouco por e-mail:

“se vc quer a relaçao completa de quem fuça seu orkut,e quantas vezes
essa pessoa fuçou é simples,mande isso para 15 pessoas em seguida e
aperte a tecla f5,o orkut lhe enviará automaticamente não os ultimos e sim
todos que te visitaram,no dia,é incrivel.” (sic)

Porque esta corrente é absurda:
1. Qual o sentido de pedir para mandar para exatamente 15 pessoas, visto que 99,9% dos seres alienígenas que repassam correntes pelo Orkut utilizam o sistema de mensagens ao invés dos multideletados e apocalípticos scraps? (caso não tenha ficado óbvio ainda: o sistema de mensagens permite o envio para todos os amigos de uma vez só... por que então não pedir para enviar para todos, ao invés de enviar para 15? Por que 15?? (por que não 16, 17, 1 milhão, 37, 5?)
2. Esta é outra corrente que usa a excelente sacada de pedir para o analfabeto tecnológico pressionar F5 ao término do processo. Desse modo, a página em que ele está será atualizada (como num passe de mágica!), e, enquanto espera pela lenta abertura da próxima página (provavelmente um ser assim usa Internet discada) ele pode imaginar o que de emocionante estará escrito na página seguinte a ser aberta.
3. Depois de apertar F5, a relação completa de quem “fuçou” o meu Orkut será enviada por onde? Pelo correio? :P
4. (Hipótese absurda, mas...) será que tem alguém idiota o suficiente para achar que, se depois de apertar F5 aparecerem só os últimos 5 que visitaram o perfil dessa pessoa, isso significaria que apenas 5 pessoas visitaram o perfil dela (e de todo mundo... uau! que coincidência!) naquele dia? (nunca se sabe).
5. Ia ser realmente interessante (mas totalmente desnecessário, diga-se de passagem – Orkut não é Big Brother!) poder ter acesso a uma lista destas. Mas, pense bem: o Orkut vive dando erro. Se os servidores já não agüentam o tráfego intenso de pessoas do jeito que já é, imagina como seria se eles ficassem armazenando páginas e mais páginas com listas intermináveis de pessoas que visitam perfis de pessoas mais populares. Pense em quantas pessoas visitam o perfil do Orkut (o cara) por dia. Agora pense na quantidade de lixo virtual desnecessário que a lista do total de pessoas que acessaram a página dele num determinado dia (e quantas vezes acessaram!) produziria. Agora multiplique esse número por 25 milhões (número aproximado de usuários no Orkut, incluindo os fakes – porque fake também tem perfil e também influencia a rede!). Será que valeria a pena atravancar os servidores para algo tão fútil e bisbilhoteiro?
6. E, pô, não tinha um verbinho melhor do que “fuçar”? Bisbilhotar, talvez? Sondar, esquadrinhar (ãn?), visitar, investigar, inspecionar, observar, contemplar, admirar, espreitar, espionar, espiar, examinar, analisar, enfim, há várias possibilidades. Fuçar é muito “cachorro metendo bedelho onde não é chamado”. Fusar, então, nem se fala :P

Nova entrada no dicionário absurdo das correntes por e-mail (ou por Orkut):

Fusar v.t. Ação ou efeito de fazer a fusão entre dois elementos. Ex.: Para fazer uma bomba atômica, é preciso fusar os elementos X e Y.

Marcadores:




domingo, 6 de agosto de 2006

  Para imprimir e guardar

Assim como o El País, agora o Guardian Unlimited também oferece uma versão online sempre atualizada do jornal para imprimir. O G24 é dividido por editorias e reúne as últimas notícias dos jornais Guardian, Guardian Unlimited e The Observer. Os pdfs disponíveis são: Top Stories, World, Media, Business e Sport. A versão eletrônica imprimível do El País 24 horas é mais direta. Basta clicar no link para poder baixar, ler e imprimir a última edição completa do jornal virtual em pdf. Há também o Le Monde en PDF. Mas a versão online imprimível do Le Monde é na verdade um simulacro de jornal eletrônico para impressão: além de ser atualizado apenas uma vez por dia, é preciso pagar pelas edições virtuais. Que tal seria uma Folha Online 24 horas? :P E haja folha para imprimir tanto jornal!...




  Comunicação de massa individual

Em um artigo da edição de agosto de 2006 do Le Monde Diplomatique, o sociólogo, professor e pesquisador espanhol Manuel Castells fala sobre a emergência dos chamados meios de “comunicação de massa individual” (mass self communication). Com as facilidades criadas pela Internet (mais precisamente, com a Web 2.0), uma nova forma social de comunicação teria surgido. Esse novo modo de se comunicar se traduz pelo maneira pela qual a informação pode ser difundida: cada vez mais, a produção individual se torna passível de atingir as massas (algo inimaginável há algum tempo atrás). É mais ou menos como diz a propaganda televisiva do iG: o mundo é de quem faz (e, na Internet, todo mundo pode fazer... :P).
Alguns excertos do artigo de Manuel Castells podem ser conferidos no blog “SociétiQ” (em francês). Via eCuaderno (encontrado originalmente pelo StumbleUpon).

Update 16/08/06: link para o artigo completo (traduzido) no Le Monde diplomatique Brasil. Parece meio incongruente ter acesso à tradução, mas não ao texto original em francês... o.0 :P


Todos somos jornalistas

No mesmo sentido, a reportagem do El País, intitulada “Todos somos periodistas”, enaltece o chamado “jornalismo cidadão”. Com as facilidades trazidas pela Internet, a informação estaria vivendo uma nova revolução: qualquer um pode contribuir para a construção dos conteúdos nos novos meios de comunicação. A reportagem também menciona Wikipedia, YouTube, Technorati, e mais uma penca de serviços que estão em voga ultimamente.
Entretanto, mesmo com intensa participação do cidadão, o papel dos jornalistas não estaria arruinado. Alguém ainda precisaria desempenhar o papel de selecionar o que pode vir a ser relevante para a população. A mídia tradicional permaneceria ocupando o lugar central no papel de manter os cidadãos informados. Mas ela tem muito a ganhar com a participação cada vez mais ativa de seu público, através de opiniões ou de contribuições.

Marcadores:




sábado, 5 de agosto de 2006

  1 ano de blog

Meu blog está completando* um ano. Para comemorar, resolvi fazer aquilo que todo final de ano tem, mas que ninguém tem coragem de admitir que não agüenta mais ver pela frente: uma retrospectiva! \o/ Então aí vai, um post por mês, escolidos com base no que eu mais me diverti fazendo (qualquer critério de escolha que eu adotasse seria amplamente discricionário).

* Actually... a data oficial de aniversário da primeira postagem já passou. Mas faça de conta que hoje ainda é 4 de agosto e aprecie a lista abaixo como se hoje fosse ontem ;)

2005
Agosto: Suspense
Ficção.
Setembro: Lições Fundamentais de "A Fantástica Fábrica de Chocolates"
Crítica de filme.
Outubro: Anedotas de Relógios ou Como desembalar um sofá com uma tesourinha de primeira série
Humor/Fatos da vida.
Novembro: Tirinha do Snoopy
Semiótica.
Dezembro: Entediante ou Ma Français est trés bizarre
Reflexões absurdas/Francês.

2006
Janeiro: Jornalismo online
Resenha.
Fevereiro: O respeito às religiões e a liberdade de expressão
Opinião.
Março: A progressão de regime em crimes hediondos
Opinião.
Abril: Desmistificando o mito de que o Orkut vai ser pago
Reflexões absurdas.
Maio:Um domingo qualquer
Ficção + Fatos da vida.
Junho: Construindo uma máquina do tempo ideal
Reflexões absurdas.
Julho: Três telefonemas
Ficção.

Gostaria de agradecer a todos que visitam o meu blog :) (tanto os que comentam quanto os lurkers...) :D Sem vocês, este blog não seria o mesmo (-- ou sequer existiria!).




  Imprensa e democracia

"A luta entre o govêrno e a imprensa é a melhor proteção das nossas liberdades. Um govêrno que controlasse uma imprensa subserviente ou uma imprensa que não excercesse restrições sôbre o que é escrito - tanto um quanto a outra poderiam ser o fim da democracia" (p. 82)

Basicamente, isso é tudo o que consegui extrair do livro "A Impresa - sua importância na democracia", de Duane Bradley. Mesmo sem graça e com conteúdo que beira o óbvio, nada supera o fato de eu ter encontrado um livro de jornalismo da década de 60 perdido numa das estantes da biblioteca da faculdade de Direito :P Viva a transdisciplinariedade!
Obs.: o livro só foi retirado 4 vezes da biblioteca nos últimos 10 anos. Aparentemente, são/somos poucos os interessados no mundo jurídico e jornalístico ao mesmo tempo... :P

Marcadores:




sexta-feira, 4 de agosto de 2006

  Estágio, processo

Querido diário...Esta semana tive meu primeiro (e segundo) dia de estágio. Fora o fato de eu ter me sentido completamente perdida, aco que tive uma boa noção prática de como funciona o sistema capitalista. Cada um produz uma parte. Cada parte é importante para que se cegue a um determinado fim. Mas aquele que faz a parte não tem a noção do todo. Simples. :P No primeiro dia, senti como se estivesse dentro do livro "O Processo", de Franz Kafka - a diferença é que ao invés de estar dentro do processo, ele estava acontecendo ao meu redor, e independentemente da mina vontade. No segundo dia (oje) tentei prestar um pouco mais de atenção no que eu estava fazendo. Mas mesmo assim não entendi nada. Saí de lá e passei direto numa biblioteca - será que os livros serão capazes de me dar a noção do todo? Porque ter consciência só da parte, sem saber do resto, por mais simples e automático que seja, é algo completamente alienante.

P.S.: Por algum motivo bizarro, a tecla agá do meu computador não está funcionando. Eu aperto, mas não sai nada. Logo, sinta-se à vontade para incluir agás nesse post onde acar que seja necessário :)

Marcadores:




quarta-feira, 2 de agosto de 2006

  Wikipedia

Excelente matéria da New Yorker sobre a Wikipedia. A enciclopédia online já tem mais de 1 milhão de artigos e tem se tornado referência mundial para a busca de informações na Internet.
A Wikipedia é uma construção coletiva. Por conta da facilidade de alterá-la e da multiplicidade de indivíduos que podem mudar o que diz cada artigo, muitos consideram sua qualidade editorial pouco confiável (no sentido de que os dados são superficiais, embora corretos). Mas é uma excelente pedida para quem está em busca de noções gerais sobre determinados assuntos. O ideal é utilizá-la como uma primeira fonte de pesquisas, antes de ir em busca de um maior aprofundamento (enfim, ela deve ser consultada de forma auxiliar, como toda enciclopédia).
Um dos grandes problemas é a parcialidade, embora uma das regras do site seja manter um ponto de vista neutro ao se elaborar os artigos. O problema é que fica difícil evitar que surjam debates intensos em tópicos que cubram assuntos mais polêmicos. Nesses casos, a política da enciclopédia é “fechar” o artigo para edição, e só permitir alterações quando se tiver chegado a algum consenso na página de discussão.
Um exemplo de discussão é o que ocorre na página de Pelotas. Nela, há uma acirrada disputa sobre o clima da cidade. Há meses os freqüentadores da página buscam resolver a seguinte indagação: qual seria o mês mais chuvoso do ano em Pelotas? (certamente esta é uma dúvida extremamente relevante para a vida sobre a face da Terra...).
Por essas e outras, é preciso saber adotar uma certa postura crítica ao se ler textos da enciclopédia online. Dada a facilidade de edição, uma determinada informação pode ter sido acrescentado por um estudante de 8ª série (e, portanto, terá mais chances de abordar o tema de forma superficial) quanto por um especialista na área sobre a qual se está falando/lendo. É preciso saber filtrar as informações. A dica é: sempre confie desconfiando. O uso da Wikipedia deve ser subsidiário às outras fontes de informação.
Mesmo com tantos percalços, a qualidade da Wikipedia é elogiável. O grande mérito é disponibilizar conhecimento ao alcance de todos por um clique. Uma pesquisa da revista Nature já procurou mostrar que o grau de confiabilidade da Wikipedia é equiparável ao da Enciclopedia Britannica (a mais tradicional enciclopédia em língua inglesa).
Na Wikipedia há até mesmo um artigo que lista os erros da sua “rival” impressa
(Errors in the Encyclopædia Britannica that have been corrected in Wikipedia) . Um dos “erros” citados é quando a Enciclopédia Britannica se refere a si mesma como a maior enciclopédia em língua inglesa – ora, com 1 milhão de artigos, a Wikipedia estaria esmagadoramente à frente. Mas há uma ressalva: essa afirmativa só seria válida se se considerasse que a Wikipedia é, de fato, uma enciclopédia, no sentido estrito da palavra. Há quem diga que não: a própria Enciclopédia Britannica refere-se à Wikipedia como uma mera base de dados.
Enfim, para quem quiser entender um pouco mais sobre o funcionamento dessa grande idéia, vale a pena dar uma olhada na matéria da New Yorker :) O texto serviu ao menos para eu descobrir que sou uma WikiGnome :P Ah, e também recomendo dar uma passadinha no Ponto Media, o site de onde tirei o link para essa matéria.




terça-feira, 1 de agosto de 2006

  Marcas globais

Foi divulgado no dia 28 de julho o ranking 2006 BusinessWeek/Interbrand das marcas mais valiosas do mundo. O ranking global não traz graaandes surpresas em seu top 10 (talvez só a presença de duas empresas automotivas entre as dez maiores marcas do mundo). No total, 100 marcas foram listadas. O destaque mesmo fica por conta do Google, ainda fora do top 10, mas que vem com tudo: a marca teve uma valorização de 46%, saltando da 38° posição em 2005 para a 24° posição agora em 2006. O ranking mostra o quanto ainda somos uma “Geração Coca-cola”. Mas se o Google continuar com o mesmo ritmo de crescimento, em breve poderemos entrar numa verdadeira “Google Age”. É esperar para ver.

Confira o top 10:

1. Coca-Cola
2. Microsoft
3. IBM
4. GE
5. Intel
6. Nokia
7. Toyota
8. Disney
9. McDonald’s
10. Mercedes

Mais no site.

Marcadores:




  Piada de frio

Falar do tempo é o cúmulo da falta de assunto! Mas confesso que gostei muito dessa piadinha enviada pelo George, via sistema de mensagens do Orkut:
QUANDO COMEÇA BAIXAR A TEMPERATURA, VEJA COMO REAGEM ALGUNS "POVOS":

25ºC
Baianos ligam o ar quente.
Gaúchos limpam o jardim.

20ºC
Sergipanos tremem incontrolavelmente de frio.
Gaúchos tomam sol no parque.

15ºC
Carros na Paraíba não ligam mais.
Gaúchos dirigem com os vidros abaixados.

10ºC
Cariocas usam sobretudo, cuecas de lã, luvas e toucas.
Gaúchos botam uma camisa de manga comprida.

5ºC
Toda a população do Maranhão morre...
Gaúchos fecham as janelas de casa.

0ºC
Roraima se desintegra.
Gaúchos fazem o último churrasco no pátio, antes que esfrie...

-10ºC
Amazonenses fogem para o deserto do Sahara.
Gaúchos começam a tirar os casacos quentes do armário.

-200ºC
Papai Noel foge do Pólo Norte.
Gaúchos ficam frustrados que o carro não liga.

-273ºC
Cessa toda a movimentação atômica do universo (zero absoluto)
Gaúchos começam a dizer: 'Mas tá frio, barbaridade!!

Exageros à parte, estamos encarando uns friozinhos nada divertidos aqui pelo Sul ultimamente. Não é nada empolgante ver números negativos, ou positivos próximos ao zero, nas previsões do tempo da tevê, do jornal, ou da Internet (aliás, dica de site: tempo agora ponto com ponto bê érre). De qualquer modo, ao menos estamos tendo frio no inverno. Do jeito que estava na semana passada ninguém merecia: calor de 25° em pleno mês de julho! Ao menos agosto começou com cara de inverno... :)




  Mulher Maravilha X Harry Potter

Um cientista escocês divulgou nesta segunda-feira dados de uma pesquisa quanto à possibilidade de se chegar à invisibilidade. A conclusão é a de a invisibilidade poderia ser possível ao se realizar o desvio da luz a partir de um campo de força. Ou seja: a invisibilidade do tipo “Mulher-Maravilha” é mais provável que a do tipo “Harry-Potter”. A hipótese ainda existe apenas no plano teórico. Mas, segundo o cientista, encontra-se a caminho de ser realizada na prática. Depois da invisibilidade, qual é o próximo passo? O teletransporte? Uma máquina do tempo?
Detalhe: tempos atrás, uma outra noticia dizia que se estava mais perto do manto da invisbilidade de Harry Potter. Vá entender esses cientistas...
Ao menos ambas as teorias confirmam a idéia amplamente aceita de que a ficção científica, por vezes, pode premeditar aspectos futuros da realidade.


flickr
   

 feed

receba as atualizações do blog por e-mail



categorias academicismos
amenidades
blogs
direito
filmes
google
internet
livros
memes
mídia
orkut
politiquês
querido diário
stumbles
tecnologia


sobre
about me
del.icio.us
flickr
last.fm
orkut
43metas
nano novel
textos
flog
stumbleupon
Gilmore Girls





blogroll
animaizinhos toscos
argamassa
ariadne celinne
atmosfera
bereteando
blog de lynz
blog del ciervo ermitaño
direito de espernear
direito e chips
dossiê alex primo
efervescendo
enfim
every flower is perfect
garotas zipadas
giseleh.com
grande abóbora
hedonismos
il est communiqué
jornalismo de resistência
jornalismo na web 2.0
lavinciesca
marmota
novos ares
pensamentos insanos
rafael gimenes.net
reversus
sententia
universo anárquico
vidacurta.net
vejo tudo e não morro
w1zard.com


arquivo
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007


etc.










Save the Net

Stumble Upon Toolbar

Creative Commons License

Official NaNoWriMo 2006 Winner