quarta-feira, 31 de maio de 2006

  Notícia bizarra

Coisas bizarras que acontecem no mundo. Duas jovens americanas que se envolveram num acidente de carro foram confundidas pelas famílias. Uma morreu, e a outra estava em coma, coberta de bandagens. Como ambas eram parecidas fisicamente, as famílias levaram cerca de 2 meses para perceber o engano. A confusão foi esclarecida hoje no blog da família da suposta sobrevivente. O blog era mantido para o envio de mensagens de apoio à recuperação da jovem.




  O valor da privacidade

Artigo da Wired que fala da importância de se ter privacidade. Não é porque alguém não faz nada de errado que pode permitir simplesmente que o governo ou qualquer outro ser acesse tudo sobre a sua vida a qualquer momento... Todo mundo tem direito a falar o que quiser no recôndito de seu lar :P Por que na Internet haveria de ser diferente?
Esse artigo me fez lembrar as idéias presentes no livro "Fortaleza Digital", a primeira obra de Dan Brown. A história (muito mal escrita, mas cheia dos recursos astutos do autor para prender a atenção do leitor do início ao final) gira em torno de discussões acerca do suposto acesso irrestrito que o governo tem ou poderia ter aos dados dos usuários da Internet nos Estados Unidos. Tanto no livro quanto no artigo é citada a expressão latina "Quis custodiet custodes ipsos?" (algo como "Quem guardará os guardiões?"), como uma maneira de fazer lembrar que o poder daquele que viesse a invadir a privacidade não teria como ser regulado.
Recomendo a leitura de ambos (livro e artigo).

-- Artigo encontrado via StumbleUpon. Até que dá para achar coisas legais surfando ao acaso :)

Marcadores:




  Fumaça profana

Dia Mundial Sem Tabaco.
Frustração: não consegui fazer a minha irmã parar de fumar :/



terça-feira, 30 de maio de 2006

  Internet ou internet?

Nunca sei se devo escrever internet com i maiúsculo ou minúsculo. Tendo sempre preferido grafá-la como "Internet", recentemente comecei a ter minhas dúvidas. Ela seria Internet (em maiúscula) porque é o nome que designa a união de várias redes. Mas não parece fazer sentido usar a letra maiúscula quando os outros meios, como o telefone e o jornal, são unanimamente referidos com letra minúscula o.0
A respeito disso (e embora sejam textos de quase dois anos atrás), vale a pena ver a opinião das revistas Wired e Websinder. Mas, sei lá, acho que ainda vou continuar a grafar Internet em maiúscula por mais algum tempo... :P (tem a ver com o mesmo motivo insano que me leva a me referir ao Direito com d maiúsculo -- talvez por respeito à coisa referida).

P.S.: Mas concordo que o termo internauta deva ser totalmente abolido do vocabulário virtual!




segunda-feira, 29 de maio de 2006

  Google Notebook

Mais uma idéia bacana do Google Labs. Agora é possível tomar notas sobre as páginas da Internet no próprio browser. O Google Notebook é um sistema simples que se agrega ao Firefox (não sei como funciona no Explorer) e permite que pequenos excertos de páginas e pequenas notas sejam armazenadas para consultas futuras. Tem até a opção de tornar público algumas dessas notas (isso não resultaria num quase-blog?).
A idéia seria mais legal se permitisse isolar os comentários sobre cada página (tipo, tu acessa uma determinada página e vê o que já comentou ou o que já comentaram a respeito dela). Mas blocos de notas gerais já são bastante úteis e legais :)

-- Update 31/06/05 -- de onde tirei essa última idéia? Obviamente não foi uma criação original minha... de certa forma, é o que faz o StumbleUpon. Logo, não haveria necessidade de o sisema do Google ser exatamente igual a um sistema que já existe, e o mais fácil seria simplesmente retirar a minha afirmação... :P Ah, enfim... não vou mudar minha opinião de dois dias atrás :P Há dois dias atrás eu pensava assim... Hoje, entretanto...

Marcadores:




domingo, 28 de maio de 2006

  Invisibilidade

Uma boa notíica para aqueles que achavam que ficar invisível era tão improvável quanto encontrar uma matéria do Terra que citasse Harry Potter.
O que você faria se ficasse invisível? :P

Update -- por algum motivo bizarro, ao tentar abrir o link do Terra, dá "Conteúdo não disponível" (a página ficou invisível? hoho). Mas a matéria também foi publicada no Estadão, e lá também citaram o manto da invisbilidade de Harry Potter (até no título!) :)

Marcadores:




  Testes inúteis

Tédio extremo. Total incapacidade discursiva. Dor de cabeça insistente. Mil coisas na lista para fazer. Preguiça de ir na cozinha buscar um copo d'água. Eis o contexto que me levou a fazer testezinhos idiotas na Internet. Segue um exemplo abaixo.

Your Brain's Pattern

Your mind is a creative hotbed of artistic talent.
You're always making pictures in your mind, especially when you're bored.
You are easily inspired to think colorful, interesting thoughts.
And although it may be hard to express these thoughts, it won't always be.



sábado, 27 de maio de 2006

  Só mais uma corrente

Enfim uma corrente do Orkut que vale a pena ser repassada:

AMIGOS.....
NÃO EXISTE NINGUÉM( PESSOA..) CLONANDO OS PROFILES...
É UM VÍRUS INSERIDO DIRETAMENTE EM SITES DO TIPO " ENVIANDO ALEGRIA" E QUANDO O USUARIO(AMIGO) ENTRA PARA ESCOLHER A SUA MENSAGEM... INSTANTÂNEAMENTE É ANEXADO UM OUTRO RECADO..COM O VÍRUS.. NA FRASE " OLHA AS FOTOS...."
POR FAVOR.... AVISEM SEUS AMIGOS.. PARA NÃO MAIS USAREM ESTE SITE PARA MANDAR RECADOS....
ABRAÇOS

(essa corrente pode ser meio infundada, mas contribuiria para acabar com outro mal do Orkut -- o envio de mensagens automáticas a partir de sites bizarros) :P

Marcadores:




  Indianos também enviam correntes

O pânico do apocalipse do Orkut também se espalhou entre os indianos. Recebi a seguinte mensagem de um ‘amigo’ meu:

Important
Dear user because of sudden rush of people signing upto orkut is come to an attention that we are vastly running our of resources so with in a week any one who does not receive this scrap will be deleted of our server . We know that you are still using this account We want to find out which users are actually using their orkut accounts so if you are using your then please send this scrap to every orkut user that you can if u do not pass this scrap to anyone then we will delete your account
Just follow these simple steps.
1. Click on the "Messages Tab" in your account.
2. Click on the "compose mail" option which is the last one of the four icons you see together.
3. Select "all friends"
4. Cut and Paste this mail
5. Send it........

Comentários gerais acerca da corrente: Pontuação precária. Instruções de como fazer para passar adiante. Construção discursiva complexa: a pessoa que escreveu fez como se fosse o próprio site que estivesse enviando.
Como se vê, essa corrente é bem mais lógica que as absurdas correntes dos brasileiros. A grande diferença é que ela não faz ameaças bobas e insanas de que o Orkut vai passar a ser pago (grande coisa!). A acusação é bem mais séria e verossímel: o usuário poderá ter sua conta deletada se não mostrar que está ativo!
Segundo a minha própria teoria, da qual só eu sou adepta, os indianos serão responsáveis pelo fim do Orkut (e isso acontecerá agora em junho, no máximo em julho!). O apocalipse total virá quando eles, somados aos paquistaneses e iranianos, formarem a maioria absoluta da rede social. Os brasileiros orgulhosos não iriam permanecer num local onde eles não sejam maioria, e aos poucos migrarão para algum outro sistema parecido. E como os brasileiros mantém uma relação sinalagmática com o sistema (toma-lá-dá-cá – Civil na veia!), sem eles, o Orkut não terá razão de ser, e deixará de existir (ou seja, os indianos também terão de procurar um novo lar para suas aventuras digitais). A relação de causa e efeito da teoria ainda está meio precária, mas, afinal, o que é uma teoria senão uma tentativa de explicação falha da realidade inexplicável? Os indianos vão dominar o Orkut. O Orkut vai chegar a seu fim. Uma nova rede social ascenderá. (um novo deus aparecerá para tomar conta de todos? :P).

Ah! E um comentário final. Estou profundamente de mal com as criaturas idiotas que ficam me mandando correntes. Mas desta vez por não terem me mandado uma: como que eu nunca recebi a tal corrente que sugere que todos votem nulo nas eleições, para que a eleição seja anulada e novo pleito seja convocado??? Pooo...

Marcadores:




  Lembranças blogais

Já faz 5 anos que postei pela primeira vez aqui no blogspot. O tempo passa muuuuuito rápido.
Ainda lembro de quando fui fazer minha primeira postagem em meu primeiro blog (que provavelmente não foi o gabizago.blogspot.com, porque acho que eu não era tão insana ao ponto de fazer meu primeiro blog em inglês :P). Fiquei tri de cara porque o sistema era diferente do que eu imaginava. Ao invés de colocar os textos lá, e depois incluir a data, descobri que a entrada ficaria com a data e a hora da postagem. Primeira frustração.
Naquele tempo eu ainda vivia sob o regime crudelíssimo das 20 horas semanais de Internet, utilizáveis apenas no fim de semana. Para iniciar meu primeiro blog, eu já tinha escrito durante uma semana, num caderninho, tudo o que queria postar no fim de semana. Postei tudo junto e ficou uma droga porque ia contra as regras normais da ordem dos textos na blogosfera (a grande graça dos blogs é o fato de o post mais recente vir em cima, enquanto que os mais antigos vão indo naturalmente para o arquivo).
Não lembro mais onde era esse blog, em que época ele havia sido feito, ou que tipo de coisa ele dizia. O layout era verde, e meu primeiro pseudônimo foi pipocaeguaraná (não sei por que cargas d’água). Mas provavelmente esse velho blog já deve ter se perdido pelos caminhos tortuosos da Internet :~

Ah! E a segunda frustração foi quando percebi que não haveria ninguém para ler as minhas postagens :P De certo modo, esse anseio persiste até hoje.




  Três reais

Tentativa de escrita nonsense:

Era uma vez um indivíduo nada desconfiado. Um dia ele estava andando na rua e encontrou uma nota de três reais no chão. Ele nunca tinha ouvido falar da existência de cédulas desse valor. Mas fazia sentido. Ainda mais em ano de Copa do Mundo! Nada mais festivo e alusivo à data do que fazer uma nota de três reais na cor amarela. Ainda mais quando a de um real é verde, e a de dois é azul. É bem... Brasil.
Ele pegou a nota. Pensou em guardá-la de recordação. Mas não, dinheiro foi feito para circular. Além do mais, vai ver essa nota existia em tudo quanto é lugar (ele que era o tapado que nunca tinha visto).
Então o sujeito tentou comprar lingüiça no açougue com a nota. O açougueiro não só recusou como também chamou sua nota amarela de dinheiro com hepatite.
- Po, e aonde é que fica o espírito da Copa do Mundo?


Okay, prometo que neste fim de semana volto a postar coisas mais, digamos, "normais" aqui neste blog... :P É essa história de ninguém ler o que eu escrevo (fora eu mesma) que acaba me motivando a escrever coisas pelas quais ninguém se interessaria mesmo :P




quinta-feira, 25 de maio de 2006

  Aventuras no dicionário de francês

Na página 488 do minidicionário Michaelis Francês-Português-Francês, abaixo de um y de dimensões gigantescas, é possível ler, com letrinhas minúsculas (algo como Small Fonts tamanho 5, ou menos), as seguintes palavras:

y [`ipsilõw] sm lettre appartenant à quelques alphabets étrangers, que s’emploie en portugais seulement dans les terms techniques d’usage international ou dans les abréviations et symboles. Lettre de l’alphabet qui a été remplacé par l’i dans l’ortographie officielle de 1943.

Seguido de um mega espaço em branco. Na página seguinte vem a letra zê.
Okay, agora alguém me explica qual o sentido de usar uma folha inteira (pobres árvores!) para dizer simplesmente que a letra ipsilon não existe na língua portuguesa. Pior ainda: dizer isso na definição do que supostamente seria a letra ipsilon! (afinal, a letra ipsilon existe ou não?).
É querer desperdiçar árvores! Depois ainda reclamam do desmatamento... :P




  Orkut - sorte do dia

“The only good is knowledge and the only evil is ignorance”

Até tu, Brutus? Quando resolvo tirar folga dos estudos, quando decido faltar aula pela primeira vez no ano... o Orkut vem querer me dar lições de moral acerca da necessidade de se ter conhecimento e da malevolosidade (se a palavra não existe, acabei de inventar) da ignorância? Ah, fala sério! :P

Marcadores:




quarta-feira, 24 de maio de 2006

  300° post

Fatos aleatórios
(Leia-se: acabaram as minhas provas, vou voltar a atualizar este blog, mas hoje ainda não vai dar tempo.)

1. Já somos 12% da população brasileira. De um em um porcento a gente chega lá :)
2. As inscrições para o Intercom foram prorrogadas até o dia 19/06. GRRRRR.
3. Sou só eu que acho, ou o título "Acidente deixa vítima leve e tráfego lento na via Anchieta" da Folha Online de hoje é meio, digamos, esquisito :P (pense em 'leve' como antônimo de 'pesado'). Tá, okay... sou só eu mesmo :P
4. Escrevi 6 folhas de respostas na prova de hoje (páginas, lados da folha... uma folha de almaço e meia, no caso). Recorde absoluto de enrolação: quando não souber o que dizer, repita várias vezes com todos os sinônimos e variações possíveis.
5. Hoje tem uma festa da minha turma do Direito no Rua XV. Só minha turma para ser insana ao ponto de marcar uma festa bem no meio da semana mesmo tendo aula todas as manhãs. Ao menos há um significado simbólico por trás disso tudo -- o fim das provas (do primeiro bimestre). O nome da festa é "IntimAção" (duplo sentido, ambigüidade, sacou?). O legal do curso de Direito é que há uma quantidade enorme de palavras bizarras que nos permitem criar nomes felizes para as festas :)




domingo, 21 de maio de 2006

  Um domingo qualquer

Hoje eu acordei bem cedo e saí de casa pouco depois das 6 horas da manhã. Mal deu tempo de tomar um café da manhã decente porque demorei muito tempo no banho (sabe como é, dia frio) e quando fui ver já estava quase atrasada para chegar no lugar para o qual eu queria ir.
No caminho, passei por um menino pedindo esmola no sinal. Ele vestia roupas extremamente sujas e rasgadas. Seu olhar era diferente, não parecia que queria o dinheiro daqueles que por ali passassem. Tudo o que ele precisava era de compaixão. Dei-lhe um sorriso. E um punhado de balas que estavam abandonadas no porta-luvas do meu carro desde o último fim de semana na praia. Notei que o menino me sorriu de volta. Mas no fundo percebi que por mais que minhas intenções fossem puras não haveria jeito de acabar com a pobreza e a injustiça no mundo.
Seguindo adiante, pouco antes da avenida principal da cidade, presenciei uma cena que preferia não ter visto. Dois carros haviam se envolvido num acidente, e estavam completamente destruídos. Seus ocupantes eram provavelmente jovens apressados na saída de uma festa que tiveram suas vidas abreviadas por conta da bebida. Acho que vi um corpo estatelado no asfalto. Tentei virar o rosto, mas não deu para evitar.
Logo que passei por ali, tive que estacionar o carro. Uma tristeza profunda tomou conta de mim. Pobreza, mortes. Por um instante, eu desejei que o mundo não existisse - ao menos não do jeito que ele é. Mas logo percebi que de nada adiantaria simplesmente desejar que as coisas fossem diferentes. E em seguida tomei coragem, respirei fundo, e voltei a dirigir. Já passava das 7 horas da manhã quando cheguei no meu destino.
Tive dificuldades para descarregar o porta-malas de meu carro. Eram tantos brinquedos que ele mal fechava. Mas contei com a ajuda de duas simpáticas moças que trabalham no orfanato municipal. Precisávamos ser rápidos: logo, logo as crianças acordariam, e iriam querer ter um presente ao lado de suas camas.
Não muito tempo depois, já havia um presente próximo a cada criança. A parte mais demorada foi justamente posicionar os pacotes em cada quarto sem correr o risco de acordar os anjinhos que estavam dormindo. A tarefa foi cumprida pé por pé. De qualquer modo, não havia pressa. As crianças haviam dormido tarde na noite anterior, pois muitas alimentavam a esperança de ver Papai Noel chegar pela janela – quando, no fundo, tudo o que queriam eram pais de verdade, dois ou três irmãos, uma família.
Não pude esperar até que as crianças acordassem. Mas a diretora do orfanato me ligou no final da tarde para agradecer a entrega dos presentes. Senti-me bem com a ajuda, mesmo que no fundo eu apenas tivesse cumprido com o que o meu chefe tinha me pedido.
Saí de lá para dar uma volta no parque. Estacionei meu carro próximo ao caminho principal. Passei o resto da manhã caminhando pelas alamedas arborizadas do parque, pensando na vida. Perto de meio dia, vi uma cena que me provocou profundas reflexões. No meio do parque, perto de uma clareira, duas menininhas alimentavam um cachorro faminto. Pelas suas expressões, dava para perceber que elas sentiam pena e compaixão pelo animalzinho, que estava com a pata quebrada. Entretanto, a pouca distância dali, havia um mendigo dormindo recostado em uma árvore. O que me pôs a pensar foi o fato de que o cachorro tenha despertado maior compaixão das menininhas do que o mendigo. Como pode o ser humano ser rebaixado a um valor inferior ao de um cão? A que ponto chegamos, que um cão ferido cause maior compaixão que um humano desabrigado?
Como de nada adiantaria ficar apenas indignado, resolvi agir. Fui até o carro-lanche, comprei um cachorro-quente, e ofereci ao mendigo. Primeiro ele se irritou por estar sendo acordado. Notei que ao seu lado havia uma garrafa vazia de bebida alcoolizada. Ele provavelmente tinha ido dormir bêbado, e se encontrava em ressaca. Não demorei muito para perceber o cheiro de cachaça misturado a sujeira que aquele homem exalava. Mesmo assim, não me intimidei. Insisti até que ele estivesse com os olhos abertos. Então, ofereci o cachorro-quente. Imagine o tamanho da minha indignação quando aquele homem começou a me xingar, dizendo que eu não devia ter interrompido o sono dele. Pedi desculpas, estendi mais a mão para entregar-lhe o cachorro-quente, e saí logo de lá. Nenhum obrigado. Por um momento até achei que estava começando a entender as razões que levam as pessoas a sentir maior compaixão pelos cachorros desamparados que pelos humanos perdidos. Mas foi uma constatação passageira. Não posso culpar o mendigo pela situação social na qual ele se encontra. Não é culpa dele que as coisas estejam assim – também não é culpa dos cachorros. (Então, de quem é a culpa?)
Caminhei mais um pouco pelo parque, respirando natureza, e em seguida retornei para o meu carro. Chegando lá, vi que a antena tinha sido roubada. Senti raiva do pivete que havia feito isso. Mas não pude fazer nada. Registrar queixa seria em vão. Realizar justiça privada seria impossível. O jeito era se conformar em ter que comprar uma nova antena. Hoje não ia ser possível, porque nos domingos o comércio está fechado. Essa seria a minha primeira tarefa para amanhã – exceto que eu morri atropelado quanto fui tentar atravessar a rua no final do dia. Gaaaah... Desisto! Quem foi que disse que uma história precisa ter, necessariamente, um final feliz? Quem foi que disse que uma história precisa ter final? :P Abaixo a ditadura das histórias com final!! Reservo-me do direito de encerrar qualquer texto onde eu bem entender :P Unf...
E, obviamente, isso tudo é uma obra de ficção. Eu nem sequer saí de casa hoje :P Quando não se tem uma vida interessante para contar, o jeito é inventar :D




  First Post

O que isso que apareceu no meu blog quer dizer? Bug no blogger? o.0
Meeeeedoooo

Ok, this is my absolutely first post in blogdom.What was the need to lift a finger now, you ask? Well, my parents are visiting and I am rediscovering the pleasures of real Konkani food.Every year I make it a point to note down the recipes and promptly forget it ..the recipe as well as the paper on which it was written.This time though, I decided to make the recipes more permanent, setting the sukkes, ambats and bendis in electronic typeface, relying on google and blogger to retrieve them incase I lose sight of them.
BTW, I think I am very much in tune with the pulse of the Konkani community in starting to write about upkaris and sagles.Check out this introductory learn Konkani lesson.
Now, I have taken a lot of beginners lessons in foreign languages- Spanish,French and have also grown up learning Hindi,Marathi etc.

Nowhere does a beginner lesson have this!Goes to show how much the konkani has his mind in the butter

Had your lunch?
= Javan jalwe

What is the curry?
= Randai Kasale

Watch this space as it gets filled with things and ideas related to Konkani food and culture.Repeat after me,no more will be second banana to any other form of south indian cuisine.In fact any second banana found, should and will be promptly made into koddel ,upkari or shikran depending on how ripe the banana is.



, should and will be promptly made into koddel ,upkari or shikran depending on how ripe the banana is.



segunda-feira, 15 de maio de 2006

  'Código da Vinci' por todos os lados

Interessante e bem-humorado o artigo da Reason Online sobre o fenômeno do Código da Vinci. Nele, Tim Cavanaugh, web editor da Reason, fala do quanto é impossível que alguém não saiba tudo sobre o livro - mesmo que não o tenha lido - por conta da insistência da mídia no assunto. Ainda mais agora que o filme está para ser lançado, em estréia mundial, com o tosquíssimo e apelante slogan que convida: "Be Part of the Phenomenon" (é tão descara da a coisa que eles já nem escondem o fato de que estão manipulando a vontade das pessoas).

"In an era of audience fragmentation, Dan Brown has produced something rare—a genuine popular phenomenon."

Além de ter popularizado de certa forma a leitura, outros fatos positivos que podem ser imputados ao "fenômeno Da Vinci" é que ele popularizou termos científicos um tanto complexos (o exemplo que o artigo dá é a própria questão do uso da simbologia e semiótica) e também contribuiu para reacender o debate religioso em todo o mundo.
Acho que só quem esteve em Marte nos últimos anos é que pode alegar não saber nada sobre a trama da história! Para Tim Cavanaugh, assim como os ensinamentos da Bíblia, o conteúdo de 'O Código da Vinci' é quase totalmente assimilável por osmose. O próprio autor do artigo confessa que não leu o livro (e muito menos uma das milhares de variações disponíveis da obra, que se propõem a complementá-la ou desconstruí-la, e que fomentam o mercado editorial de livros em toda a parte).
Quanto ao Código, além do livro e do filme, seu autor, Dan Brown, também se envolveu em uma série de processos de outros autores que tentaram pegar carona com o sucesso e acusaram-no de plágio. Mas como copiar teorias conspiratórias inventivas não é crime, Dan Brown foi inocentado. O filme estréia sexta-feira em todo o mundo, inclusive em Pelotas (!).

Marcadores:




domingo, 14 de maio de 2006

  Rebelião em SP

Okay, talvez eu deva me importar com os demais. Que loucura é essa que está acontecendo em São Paulo???



  Welcome to my life

Are you stuck inside a world you hate?
Are you sick of everyone around?
With their big fake smiles and stupid lies
While deep inside you're bleeding

No you don't know what it's like
When nothing feels alright
You don't know what it's like
To be like me


(...)
Welcome to my life!


Estou numa fase meio intimista ultimamente. Os outros não me importam tanto. Mas reconheço que deveriam importar mais, muito mais...



sexta-feira, 12 de maio de 2006

  Estresse pós-prova

Nos dias de prova, geralmente fico tão tensa que após a prova não consigo fazer mais nada. Nunca ("nunca diga nunca?" :P) tinha estudado tanto para uma prova como fiz para a de hoje. Ou ao menos não recordo situação tão exaustiva e desesperante. A prova era de T.I.P. (Terrorismo Internacional Público, num trocadilho bastante apropriado para D.I.P., o 'apelido oficial' da matéria, Direito Internacional Público), e o conteúdo era extremamente extenso (cerca de 50 folhas no caderno, 150 em um livro que falava apenas de uma parte da matéria, e outras 300 de outro que falava de tudo -- isso foi o que eu consegui ler em pouco mais de 48 horas de estudo). Desde quarta-feira eu vinha apenas respirando Direito Internacional, aplicando princípios de tratados (como o pacta sunt servanda -- os pactos celebrados devem ser cumpridos) nos fatos da vida diária, ou sonhando com as milhares de teorias que fundamentam a existência e aplicação do Direito Internacional. Para completar, numa aula de quarta no Jornalismo a gente teve de escrever sobre o impasse Brasil X Bolívia (bela oportunidade de escrever sobre o quanto os tratados devem ser cumpridos!... o detalhe é que eu estava tão preocupada com a prova de hoje que nem me lembro o que eu escrevi), e numa aula de ontem, também da Comunicação, a gente teve que argumentar e contra-argumentar sobre um determinado ponto da matéria, o que acabou valendo como um quase pseudo-exercício para o que tive que fazer em pelo menos uma das questões prova de hoje :P (na questão 4 da prova, na letra a) tinha que defender o Direito Internacional, e na b) era para defender o Direito interno).
E o pior é que a prova não estava difícil. Só complicada. E longa. Mas não impossível. Não tenho idéia de quanto eu possa ter tirado de nota porque o DIP é muito maleável, e as respostas dependem muito de argumentação, porque, em tese, tudo é possível (desde que as partes concordem que assim o será).
E cada vez fico mais de cara com a minha incrível des-capacidade em responder de forma clara e objetiva as questões propostas. É como se eu dissesse tudo o que queria dizer, mas de forma confusa e caótica. Muitas vezes acabo perdendo nota não por não saber a resposta, mas por ter sido mal compreendida. Aaaah.
Enfim, o bom é que finalmente saí do abismo que me separava do mundo à minha volta, e posso voltar a viver normalmente como sempre fiz. Tem muita coisa que acabei renegando ou esquecendo de fazer ao longo da semana, e pretendo colocar tudo em dia entre amanhã e depois (hoje só vai dar para planejar o que fazer, porque fazer algo vai ser muito difícil). A começar pelas atualizações do blog. E a compra do presente de Dia das Mães!




terça-feira, 9 de maio de 2006

  Machete de jornal




segunda-feira, 8 de maio de 2006

  Prova de Penal

Fiquei meio de cara comigo mesmo. Uma das questões da prova de Direito Penal de hoje perguntava qual o princípio constitucional que fundamentava a decisão do STF de conceder progressão de regime para um condenado por crime hediondo. Acho que disse o princípio certo, mas me enrolei demais na fundamentação, e não falei em ressocialização do condenado, retorno à sociedade, e tudo o mais. O problema é que eu tinha postado sobre isso aqui no blog há não muito tempo atrás... E a primeira linha do que diz no meu post serviria como uma resposta perfeita para a questão. Grrrr :P Não dá para voltar no tempo algumas horinhas para eu fazer novamente essa prova? :}

Marcadores:




domingo, 7 de maio de 2006

  Fictionpress

Meu fictionpress ressurgiu das cinzas! Postei uma nova história lá. O título é "Assassinato (meio) ao contrário"*, e ela ficou mais legal no plano das idéias que na forma final de texto escrito :P. Pretendo criar algumas outras histórias ao longo dos próximos dias :) É divertido fazer ficção :D
Um dia eu ainda supero meu trauma de nunca conseguir criar finais para as histórias que escrevo (e por que essa insistência de que toda história tenha um fim? Não seria mais simples se as histórias continuassem para sempre, nem que fosse só na mente do leitor? :D). Minha última tentativa de exercitar esse problema foi com o blog dos animaizinhos, mas a idéia também não deu muito certo, e muitas histórias continuaram sem um desfecho interessante. Seria bem mais fácil continuar a escrever se houvesse feedback (nem que fosse algo do tipo "tua história tá um lixo, desista de criar qualquer coisa!!" :P). O silêncio é mil vezes pior: significa que ninguém me lê? o.0 Ah, enfim, o jeito é continuar escrevendo. Talvez um dia eu produza algum texto decente, e todo o esforço terá valido a pena :)

* Eu deveria estar estudando Direito Penal, e não criando historinhas que envolvam crimes :P




  Carta ao Peter Pan

Caro Peter Pan,

     Como estão as coisas aí na Terra do Nunca?

     Escrevo-lhe do mundo real, triste e violento, onde as coisas estão piores do que nunca. Pessoas morrem de fome, a falta de chuva faz com que falte nutrientes básicos para a manutenção da vida, mata-se por prazer, o tempo passa rápido. Precisamos de ajuda!
     Confesso que primeiramente pensei em recorrer aos sábios Três Porquinhos e seus dotes para providenciar moradias para os necessitados. Também considerei pedir ajuda à vovó de Chapeuzinho Vermelho, para que fizesse guloseimas para alimentar os que têm fome. Os Sete Anões poderiam cuidar dos que são vítimas da violência diária. Cinderela viria para dar esperança aos pobres e oprimidos. Os cabelos de Rapunzel proporcionariam uma bela corda para fugirmos deste mundo. Até mesmo Lobo Mau, Bruxa Malvada e Bicho Papão parecem-me alternativas melhores aos problemas diários.
     Entretanto, após muito pensar, resolvi recorrer a você, Peter, que, agarrado ao desejo de não crescer, acabou por criar um mundo ideal. Pergunto-lhe, então, se há espaço na Terra do Nunca para aqueles que já perderam a esperança de que haja um mundo melhor; para aqueles que têm fome, sede de vida; para os que choram a morte violenta de entes queridos; para aqueles, adultos ou crianças, que cansaram de viver com medo; enfim, para todos os seres, animais ou criaturas, que, acostumados à tristeza, já nem sabem mais o que é sofrer.
     Portanto, senhor Pan, estarei aguardando ansiosamente pela resposta.

Sem mais, despeço-me

-- obs.: texto escrito em março/2005, mas que nunca antes se mostrou como um desejo tão atual...

Marcadores:




sábado, 6 de maio de 2006

  Googlebombing

Há alguns exemplos interessantes da prática de 'googlebombing' na Wikipedia...
Por exemplo, tente procurar no Google os termos "arabian gulf", "déspota cachaceiro", "French military victories" e "armas de destrucción masiva", apertando a tecla "Estou com sorte" :)
O googlebombing acontece quando várias páginas relacionam certas palavras com determinados sites na Internet. O exemplo mais clássico de todos é o que fizeram com o presidente Bush (procure por "failure" e aperte "Estou com sorte").

E chega de ficar stumbleando... Eu deveria estar estudando :P

Marcadores:




  Google

Siga os passos:
1. Entre no Google.
2. Digite "the answer to life, the universe, and everything" (sem as aspas, obviamente).
3. Que tal o resultado? :P

A dica é do post Google Search Tips 2005 do Google Blogoscoped.
E, sim, há uma explicação lógica para isso.

Marcadores:




  Google X Microsoft

A equipe do site de buscas Google quer processar a Microsoft por conta de uma possível violação das leis antitrustes que vigoram nos Estados Unidos. O motivo seria porque a nova versão do Internet Explorer da Microsoft já viria com o sistema de buscas MSN Live Search integrado. O Google quer que a Microsoft dê ao usuário a opção de poder facilmente escolher qual será seu site de buscas padrão. A liberdade escolha já é possível em outros navegadores, como no Firefox.

Obs.: este foi o meu boletim de rádio desta semana :) (é lícito reciclar informações apenas para manter o blog atualizado?)

Marcadores:




  Fora da área de cobertura

Perdi meu carregador do celular, passei 3 dias sem telefone e não senti falta. Acho que este é o primeio passo para conseguir se livrar de uma total dependência tecnológica :) (Só falta conseguir superar o vício de querer usar a Internet a toda e qualquer hora... :P)




quinta-feira, 4 de maio de 2006

  04/05/06

01:02:03 \o/



  Aulas medíocres

Em uma das provas que fiz na semana passada, um professor resolveu me descontar 1,5 ponto por eu ter colocado uma informação a mais na resposta (veja bem, eu não errei nada... simplesmente fui além do que era pedido para ser feito na questão e incluí um dado adicional que eu achei que era relevante para a confecção da resposta). Desde quando responder a mais é sinônimo de erro? Não fui treinada para ser papagaio, não estudei para repetir ipsis literis o que o professor disse em sala aula. Se foi dito que A é B, qual o problema de, quando perguntarem o que é A, eu responder que “A é B, e vem logo depois de C”? -- Não é tanto pela questão da nota (tanto faz ficar com 6, 8 ou 10), mas isso simplesmente não me parece justo. Onde fica a eqüidade? Onde fica a Justiça? :P
Ao menos eu tenho a consciência de que entendi a matéria, mesmo tendo "errado" a questão :)




quarta-feira, 3 de maio de 2006

  7200 dias

Ontem foi meu "aniversário" de 7200 dias (*Yay to me!*). Às vezes eu me espanto com a quantidade de scripts inúteis que existem na Internet... :P




  Só mais uma

Enfim uma mensagem divertida :)
Com o título paradoxal de "Isso é sério!", recebi hoje a seguinte 'corrente' por e-mail:

A partir de setembro, o Orkut, MSN, Icq, Google,Kazaa, o E-mule, Norton, o Word, o Excel, o Powerpoint, o Outlook, o jogo de Paciência, o Winamp, o Paint, a sua impressora, o teclado, papel de parede, o seu E-mail, a Lixeira, o Painel de controle, o Meus locais de rede, o outlook, o acrobat, o photo shop, o winamp, o winzip, a ajuda do windows, o windos update, o windows media player, seu carrinho de rolemã, seu skate, o Bloco de notas, o MS-DOS, o Google, o Yahoo, o CADE, alta vista, o Mercado Livre, o Menu Iniciar do Windows, a seta do mouse e a repimboca da parafuseta serão pagos.
Mande essa mensagem para 10³³³ pessoas da sua lista e logo em seguida aparecerá uma mensagem com Oompa loompas dançando arrocha dizendo que tudo está atualizado.

Estou postando aqui no blog porque eu quero ver os oompa loompas! :D hehe
(E, agora sim, declaro definitivamente encerrada a novela 'o orkut será pago' :)

Marcadores:




terça-feira, 2 de maio de 2006

  C for Cookie

Enquanto o filme V for Vendetta não chega aos arcaicos cinemas de Pelotas, o jeito é se contentar com o trailler de C for Cookie, uma paródia muito bem humorada do filme, que se utiliza dos personagens da Vila Sésamo para mostrar um mundo bizarro onde o consumo de cookies é controlado pelo governo (aliás, para que TV a cabo se a gente tem à disposição milhares de vídeos bizarros no YouTube.com? :P). Até inaugurei uma ""comunidade"" (aspas duplas \o/) no orkut em homenagem ao vídeo :)

E, falando em Orkut, desejo uma boa estadia aqui no blog para os orkuteiros de plantão que chegam aqui buscando informações sobre o Orkut pago (meu blog é o segundo resultado para uma busca no Google por "orkut pago rede globo")... Desculpem-me pelo eventual tom arrogante das mensagens (po, fala sério! acreditar em corrente por e-mail é o mesmo que ficar acordado à meia-noite do dia 25 de dezembro para ver o papai noel chegar pela chaminé!), e espero que vocês deixem de acreditar em tudo o que recebem por e-mail, principalmente quando o nome da Rede Globo está envolvido :P
Enfim, comecem a leitura pelo primeiro post sobre o assunto ("Desmistificando o mito de que o Orkut vai ser pago") e divirtam-se! :)

Marcadores:


flickr
   

 feed

receba as atualizações do blog por e-mail



categorias academicismos
amenidades
blogs
direito
filmes
google
internet
livros
memes
mídia
orkut
politiquês
querido diário
stumbles
tecnologia


sobre
about me
del.icio.us
flickr
last.fm
orkut
43metas
nano novel
textos
flog
stumbleupon
Gilmore Girls





blogroll
animaizinhos toscos
argamassa
ariadne celinne
atmosfera
bereteando
blog de lynz
blog del ciervo ermitaño
direito de espernear
direito e chips
dossiê alex primo
efervescendo
enfim
every flower is perfect
garotas zipadas
giseleh.com
grande abóbora
hedonismos
il est communiqué
jornalismo de resistência
jornalismo na web 2.0
lavinciesca
marmota
novos ares
pensamentos insanos
rafael gimenes.net
reversus
sententia
universo anárquico
vidacurta.net
vejo tudo e não morro
w1zard.com


arquivo
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007


etc.










Save the Net

Stumble Upon Toolbar

Creative Commons License

Official NaNoWriMo 2006 Winner