quarta-feira, 11 de outubro de 2006

  Do Relatório Macbride à Nova Ordem Internet[1]

O relatório Macbride[2] foi um documento publicado pela UNESCO[3] em 1980 com o objetivo de analisar os problemas da comunicação no mundo em sociedades modernas, principalmente a questão da comunicação de massa e a imprensa internacional. O projeto recebeu este nome porque o texto foi elaborado por uma comissão presidida pelo irlandês Seán MacBride, vencedor do prêmio Nobel da Paz em 1974 por sua luta pelos direitos humanos.
Segundo a Wikipedia, alguns dos problemas identificados no documento eram a concentração da mídia (poucos produtores detém/detinham o controle de muitos meios), a comercialização da informação (e o papel centralizador das agências de notícias norte-americanas e européias) e o acesso desigual à informação e à comunicação (mesmo com a previsão da proteção desse direito na Declaração Universal dos Direitos do Homem de 1948[4], ele não estaria sendo plenamente assegurado pelas legislações dos diferentes países). Outra questão fundamental diz respeito ao desequilíbrio nos fluxos de informação entre o primeiro mundo e os países em desenvolvimento.
A solução proposta pelo relatório era a de promover uma maior democratização da comunicação (a partir de um maior acesso às fontes de produção e maior acesso ao produto final) e o fortalecimento das mídias nacionais (para evitar as influências externas, como no tocante ao papel das grandes agências internacionais de notícias).
A elaboração do relatório faz parte da idéia da Nova Ordem Mundial da Informação e da Comunicação, um projeto internacional de reorganização dos fluxos globais de informação lançado em 1970 pelo movimento dos Países Não-Alinhados (e com o apoio da UNESCO).
Apesar da boa intenção, as medidas sugeridas pelo relatório não foram plenamente aplicadas. Os interesses dos envolvidos no projeto não são totalmente compatíveis com os interesses capitalistas dos produtores de informação. Com o passar dos anos, a pauta de discussões em comunicação na Unesco foi sendo modificada. Outros temas passaram a fazer parte das discussões da organização, como a democratização da informação e a sociedade da informação. Os temas ligados ao acesso ao ciberespaço, como a inclusão digital, foram bastante discutidos na Convenção de 2003 da Cúpula Mundial sobre a Sociedade da Informação. Para Ignacio Ramonet, estar-se-ia caminhando em direção a uma Nova Ordem Internet.
A discussão quanto ao futuro da Internet é também relevante. Enquanto isso, entretanto, os temas ligados à produção da informação vão sendo deixados um pouco de lado...




Notas:
[1] Em clima de trabalho de Ética para a Comunicação sobre o Direito Social à Informação. Matéria medíocre, assunto interessante :P
[2] Também conhecido como “Um mundo, muitas vozes” (ou pelo nome “científico”, completo e original: Communication and Society Today and Tomorrow, Many Voices One World, Towards a new more just and more efficient world information and communication order)
[3] Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura
[4] Artigo 19 Todo o homem tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios, independentemente de fronteiras (Declaração Universal dos Direitos do Homem, ONU, 1948)

Marcadores: , ,




Comentários:

Blogger Gilberto disse:
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
 
Blogger Gilberto disse:
Gabi,

Atentasse a um aspecto importante, que diz respeito a pluralidade dos meios de comunicação. O relatório da época identificou esse problema e continua ocorrendo. No Rio Grande do Sul, por exemplo, vemos uma única família proprietária dos maiores veículos de comunicação do estado. Isso ocorre em outros estados também. Agora, fica a pergunta, de que adianta garantir o direito à informação se os fatos passados são de uma única empresa??? :P Por que realmente é isso, a imprensa/empresa do Brasil vem cometendo esses enganos. Pode ser um pouco radical, mas se analisarmos a fundo existe um certo fundamento nessa história. Ainda bem que temos a Web que nos permite a livre expressão. Infelizmente, o acesso a limitado a uma pequeníssima parcela da população.

Bjos,

Gilberto
 
Blogger Carol Souza disse:
Iria fazer observaçoes sobre o post, mas as quartas nao consigo.

Passo 3 horas pela manha discutindo a comunicação no meu projeto de pesquisa.

deu!

:D

bj
 


Participe desta conversação :)



<< Voltar para o blog
flickr
   

 feed

receba as atualizações do blog por e-mail



categorias academicismos
amenidades
blogs
direito
filmes
google
internet
livros
memes
mídia
orkut
politiquês
querido diário
stumbles
tecnologia


sobre
about me
del.icio.us
flickr
last.fm
orkut
43metas
nano novel
textos
flog
stumbleupon
Gilmore Girls





blogroll
animaizinhos toscos
argamassa
ariadne celinne
atmosfera
bereteando
blog de lynz
blog del ciervo ermitaño
direito de espernear
direito e chips
dossiê alex primo
efervescendo
enfim
every flower is perfect
garotas zipadas
giseleh.com
grande abóbora
hedonismos
il est communiqué
jornalismo de resistência
jornalismo na web 2.0
lavinciesca
marmota
novos ares
pensamentos insanos
rafael gimenes.net
reversus
sententia
universo anárquico
vidacurta.net
vejo tudo e não morro
w1zard.com


arquivo
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007


etc.










Save the Net

Stumble Upon Toolbar

Creative Commons License

Official NaNoWriMo 2006 Winner