sábado, 20 de janeiro de 2007

  O ócio criativo

O Ócio Criativo”, de Domenico de Masi é um livro-entrevista no qual o sociólogo italiano, que estuda as relações de trabalho na sociedade pós-industrial, fala sobre o crescimento do trabalho criativo, o aumento do tempo livre, e a necessidade que se tem de saber lidar com essas mudanças.
O livro traça uma evolução histórica da distribuição entre trabalho e tempo de ócio, de forma a situar a idéia de De Masi do ócio criativo. Em linhas gerais, a evolução teria se dado da atividade física à intelectual, da intelectual repetitiva à intelectual criativa, do trabalho separado do tempo livre ao ócio criativo. Para ele, o ócio criativo corresponderia à intersecção cada vez mais freqüente entre estudo, trabalho e lazer. Cada vez mais as horas de trabalho tendem a se confundir com estudo e jogo, na medida em que as atividades burocráticas (deveriam ser) passam a ser substituídas por trabalhos criativos. Para o autor, “a plenitude da atividade humana é alcançada somente quando nela coincidem, se acumulam, se exaltam e se mesclam o trabalho, o estudo e o jogo; isto é, quando nós trabalhamos, aprendemos e nos divertimos, tudo ao mesmo tempo".
As máquinas podem desempenhar muito bem – e com uma precisão superior à do homem – serviços técnicos e meramente executivos. Entretanto, "as máquinas, por mais sofisticadas e inteligentes que sejam, não poderão jamais substituir o homem nas atividades criativas". Ao se delegar funções monótonas e repetitivas às máquinas, o que sobra para os seres humanos é o trabalho criativo, bem mais interessante, bem mais revigorante, enfim, bem mais humano do que executar sempre a mesma coisa, sempre da mesma forma.
"Uma vez delegadas à máquinas as tarefas executivas, para a maioria das pessoas sobra só o desempenho de atividades que, pela sua própria natureza, desembocam no estudo e no jogo. O publicitário que deve criar um slogan, o jornalista em busca de uma ‘dica’ para um artigo, o Juiz às voltas com a vista de um crime têm todos maior chance de encontrar a solução justa, passeando ou nadando, ou indo ao cinema, do que se ficarem trancafiados nas corriqueiras, tediosas e cinzentas paredes dos seus respectivos escritórios.”
Exemplos de trabalhos que estimulam a criatividade são os trabalhos científicos e artísticos. Segundo o autor, o jornalismo seria uma das “profissões do futuro” (pois envolve criatividade na sua realização).
Assim, a principal inimiga da criatividade é a burocratização. E o cérebro precisa de ócio para criar, para poder produzir idéias. "Existe um ócio dissipador, alienante, que faz com que nos sintamos vazios, inúteis, nos faz afundar no tédio e nos subestimar”. Mas existe também “um ócio criativo, no qual a mente é muito ativa, que faz com que nos sintamos livres, fecundos, felizes e em crescimento”.
Ou seja: é feliz aquele que sabe aproveitar o tempo livre e tem uma profissão na qual possa desempenhar um trabalho criativo.

Marcadores:




Comentários:

Blogger Fernanda Maia disse:
-> uma profissão na qual se possa vislumbrar um retorno não só financeiro, mas inovador. É o que aconteceu com os criadores do Google. Eles usaram seu tempo livre inventando 'apenas' o maior e mais eficiente site de busca da internet. E hoje a política que eles aplicam com relação a seus funcionários é meio que essa: o ócio que cria, o tempo livre com qualidade. "Os funcionários do Google precisam dedicar 70% de seu tempo à atividade principal da empresa, 20% do tempo a projetos correlacionados e 10% a um projeto pessoal."

fora trabalhar sem uniforme, o que deve dar a sensação de 'vida', e não 'escravidão'. :)
 
Blogger Gabriela Zago disse:
eles têm até piscina nas instalações da empresa, além de restaurantes que servem comida grátis... :P
trabalhar no google deve ser mto mto massa :D
O Orkut criou o orkut (!) nos seus 20% livres na empresa :)
 
Blogger Sagá disse:
Hey! Que bom que vc leu esse livro! Uma vez, não sei quando exatamente, eu indiquei ele pra ti!

=D

Livro que te faz repensar mtas coisas e ficar com cara de conteúdo por 1 mês pelo menos!
 
Blogger Gabriela Zago disse:
Pois e, esse livro realmente nos faz pensar... :P

Li por indicação sua. Lembro que na época uma professora minha tbm tinha comentado em sala de aula. Daí incluí na minha lista de leituras futuras, e agora nas férias encontrei uma versão pirata para baixar da Internet (sou ré confessa :P hehe). Apesar do "crime", valeu a pena :D
 


Participe desta conversação :)



<< Voltar para o blog
flickr
   

 feed

receba as atualizações do blog por e-mail



categorias academicismos
amenidades
blogs
direito
filmes
google
internet
livros
memes
mídia
orkut
politiquês
querido diário
stumbles
tecnologia


sobre
about me
del.icio.us
flickr
last.fm
orkut
43metas
nano novel
textos
flog
stumbleupon
Gilmore Girls





blogroll
animaizinhos toscos
argamassa
ariadne celinne
atmosfera
bereteando
blog de lynz
blog del ciervo ermitaño
direito de espernear
direito e chips
dossiê alex primo
efervescendo
enfim
every flower is perfect
garotas zipadas
giseleh.com
grande abóbora
hedonismos
il est communiqué
jornalismo de resistência
jornalismo na web 2.0
lavinciesca
marmota
novos ares
pensamentos insanos
rafael gimenes.net
reversus
sententia
universo anárquico
vidacurta.net
vejo tudo e não morro
w1zard.com


arquivo
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007


etc.










Save the Net

Stumble Upon Toolbar

Creative Commons License

Official NaNoWriMo 2006 Winner