sexta-feira, 5 de janeiro de 2007

  Extremely Loud & Incredibly Close

Em linhas gerais, trata-se da história de um menino de 9 anos que perdeu o pai no 11 de setembro. Mas, na prática, é muito mais do que isso. “Extremely Loud & Incredibly Close”, de Jonathan Safran Foer (Inglaterra, Penguin Books, 2006, 326 pp.), é um livro bastante original, capaz de fazer rir e chorar. Para começar, a história é contada sob a ótica de Oskar Schell, um menino de nove anos que também é inventor, faz bijuterias para seus amigos e família, tem interesse em assuntos como astronomia, arqueologia, computadores, entre outros - em suma, trata-se de um garoto especial. Há ainda trechos da história que são contados sob a ótica dos avós do menino. O resultado é um livro muito bem costurado, no sentido de que a história é composta por diversas tramas paralelas, mas todas elas se entrelaçam muito bem ao longo do texto. Outro diferencial é que o livro não conta a história apenas com textos. Há imagens, passagens impressas de forma diferenciada, e até mesmo páginas em branco – que, no contexto da obra, possuem um determinado significado.
Mas a trama principal decorre do ataque terrorista de 11 de setembro. Pouco depois da morte de seu pai no trágico incidente no World Trade Center, Oskar encontra uma chave entre as coisas de seu pai, e parte numa saga de aventuras ao redor de Nova York em busca da fechadura que tal chave abre. “I figured that if you included everything – from bicycle locks to roof latches to places for cufflinks – there are probably about 18 locks for every person in New York City, which would mean about 162 milion locks, which is a crevasse-load of locks” (p. 41). O resultado é uma narrativa leve mas divertida, na qual o narrador-detetive-amador parte em busca da fechadura perdida na esperança de, com isso, poder se aproximar ainda mais de seu pai.

Para quem tiver interesse, é possível ler o primeiro capítulo da obra na Internet.

Marcadores:




Comentários:

Anonymous tina oiticica harris disse:
Muito interessante a sua narrativa. Como comunicóloga e jurista, que achas do novo caso Cicarelli? Eu acho que é um *@%^&
 
Anonymous GeSa disse:
Sabe que eu ainda não tinha lido nada sobre esse livro?! Credo qnta ignorancia! hehe

Achei interessante, vou colocar na minha lista de futuras aquisições! :)

Bjo
Ah... valeu a dica! :)
 


Participe desta conversação :)



<< Voltar para o blog
flickr
   

 feed

receba as atualizações do blog por e-mail



categorias academicismos
amenidades
blogs
direito
filmes
google
internet
livros
memes
mídia
orkut
politiquês
querido diário
stumbles
tecnologia


sobre
about me
del.icio.us
flickr
last.fm
orkut
43metas
nano novel
textos
flog
stumbleupon
Gilmore Girls





blogroll
animaizinhos toscos
argamassa
ariadne celinne
atmosfera
bereteando
blog de lynz
blog del ciervo ermitaño
direito de espernear
direito e chips
dossiê alex primo
efervescendo
enfim
every flower is perfect
garotas zipadas
giseleh.com
grande abóbora
hedonismos
il est communiqué
jornalismo de resistência
jornalismo na web 2.0
lavinciesca
marmota
novos ares
pensamentos insanos
rafael gimenes.net
reversus
sententia
universo anárquico
vidacurta.net
vejo tudo e não morro
w1zard.com


arquivo
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007


etc.










Save the Net

Stumble Upon Toolbar

Creative Commons License

Official NaNoWriMo 2006 Winner