terça-feira, 9 de janeiro de 2007

  Do inimaginável ao real

Do epílogo do livro “A inteligência coletiva”, de Pierre Lévy:

O possível é aquilo que não parece impossível, mas que não leva em conta as condições presentes, e sim as condições que não contrariem a lógica ou as leis físicas. Já o factível é aquilo que é possível levando-se em conta as condições presentes de transformação. Nesse contexto, o desenvolvimento da técnica tem por função diminuir a distância entre o possível e o factível (o que era possível há alguns anos atrás pode se tornar factível quando um determinado instrumento técnico passa a permitir que algo que era antes apenas considerado apenas como possível seja de fato realizável). A esfera do factível envolve tudo aquilo que pode ser transformado em algo concreto e real, a partir dos recursos tecnológicos que se dispõem em determinada época, em determinado lugar.
A ciência amplia a esfera do possível. O desenvolvimento científico torna o impossível possível (e os instrumentos técnicos levarão o possível ao factível, e a ação humana transformará o factível em real). O impossível também pode ser tornado possível em uma obra literária de ficção científica. Nesse caso, trata-se de um real ficcional: o impossível torna-se possível, factível ou até mesmo real dentro da perspectiva daquela obra. Fora da obra, será novamente considerado impossível.
A cultura, por sua vez, permite que se faça deslocamentos da esfera do inimaginável ao imaginável. E o pensamento permite que se vá do inimaginável ao imaginado (algo só será imaginado após ter sido cogitado pela primeira vez em nosso pensamento...). O inimaginável não existe, talvez apenas em potência: é preciso imaginar alguma coisa, é preciso pensar que algo é possível, para que esse algo saia da esfera do inimaginável e parta para a esfera do imaginado (para então poder adentrar na esfera do possível, do factível, e assim por diante).

Desse modo, o caminho para que algo seja realizado é:
- Pensamento, que leva do inimaginável ao imaginado;
- Cultura, que leva do inimaginável ao imaginável;
- Ciência, que leva do imaginável (mas impossível) ao possível;
- Técnica, que leva do possível ao factível;
- Ação humana, que leva do factível ao real.

Lévy (1999) desenvolve esse caminho não em uma cadeia linear, mas em um movimento espiral, que vai do inimaginável ao real. No contexto da obra, esse caminho é apresentado para mostrar que a inteligência coletiva não é, de fato, uma utopia. Ela se torna possível a partir do momento em que o desenvolvimento científico permite que se desenvolvam ferramentas capazes de levar o que antes era um sonho ao campo do factível.
Para que algo se torne possível, o primeiro passo é pensar. Qualquer coisa pode se tornar possível a partir do pensamento.
As ferramentas técnicas estão aí. O ciberespaço está em pleno desenvolvimento, as novas tecnologias permitem interação entre os indivíduos em tempo real. O que falta para que essa parafernália toda passe a ser usada para a construção coletiva do saber? A chave para isso tudo talvez esteja na ação.

“O papel da informática e das técnicas de comunicação com base digital não seria ‘substituir o homem’, nem aproximar-se de uma hipotética ‘inteligência artificial’, mas promover a construção de coletivos inteligentes, nos quais as potencialidades sociais e cognitivas de cada um poderão desenvolver-se e ampliar-se de maneira recíproca” (1999, p. 25)


Referência:
LÉVY, Pierre. A inteligência coletiva – por uma antropologia do ciberespaço. 2. ed. São Paulo: Edições Loyola, 1999.

Marcadores: ,




Comentários:

Blogger Car0li disse:
eu gosto qnd vc coloca a capinha do livro :P
 
Blogger Gabriela Zago disse:
okay, então...
a pedidos, atualizei a postagem para incluir a capinha :D
 


Participe desta conversação :)



<< Voltar para o blog
flickr
   

 feed

receba as atualizações do blog por e-mail



categorias academicismos
amenidades
blogs
direito
filmes
google
internet
livros
memes
mídia
orkut
politiquês
querido diário
stumbles
tecnologia


sobre
about me
del.icio.us
flickr
last.fm
orkut
43metas
nano novel
textos
flog
stumbleupon
Gilmore Girls





blogroll
animaizinhos toscos
argamassa
ariadne celinne
atmosfera
bereteando
blog de lynz
blog del ciervo ermitaño
direito de espernear
direito e chips
dossiê alex primo
efervescendo
enfim
every flower is perfect
garotas zipadas
giseleh.com
grande abóbora
hedonismos
il est communiqué
jornalismo de resistência
jornalismo na web 2.0
lavinciesca
marmota
novos ares
pensamentos insanos
rafael gimenes.net
reversus
sententia
universo anárquico
vidacurta.net
vejo tudo e não morro
w1zard.com


arquivo
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007


etc.










Save the Net

Stumble Upon Toolbar

Creative Commons License

Official NaNoWriMo 2006 Winner