terça-feira, 4 de outubro de 2005

  Tudo o que você nunca quis saber sobre a Mauritânia

A professora de francês pediu que a gente fizesse uma pesquisa sobre usos, costumes e cultura de algum país francófono qualquer. Em português, é claro (considere-se que faço francês há 1 mês, e tive no máximo 5 aulas -- e foi a apenas na última que a gente aprendeu o verbo être). Para não cair no convencionalismo de escolher um país sem graça como França ou Canadá, peguei o mapa dos países francófonos do livro e me decidi a escolher o país que tivesse o nome mais bizarro. A escolha recaiu sobre a Mauritânia. Então eu passei o domingo inteiro pesquisando tudo na internet sobre um país insignificante da África. E qual é a graça de ter todo um conhecimento inútil e não poder compartilhá-lo? :P Fiquem aí com o meu trabalho (não achei quase nada de usos, costumes, e coisas do tipo; por isso o texto se detém a falar sobre basicamente TUDO que tenha a ver com o país)...

P.S.: Eu nunca tinha entrado em um site árabe antes. É bem legal, tudo aparece invertido. Até a barra de rolagem migra da direita para a esquerda da tela :P hehe... Visitem o site oficial da Mauritânia em www.mauritania.mr ;)

-----






Países francófonos são aqueles que de certa forma encontram-se ligados à França por laços culturais ou pelo idioma. A Mauritânia, uma ex-colônia francesa na Àfrica, recebeu muitas influências da França ao longo da sua história. A curiosidade em pesquisá-la surgiu da irreverência do nome país, e do profundo desconhecimento que normalmente se tem sobre ele.
O nome vem do fato de o território ter sido antes ocupado por mouros (Mauritânia é "terra dos mouros", em latim). E a relação com a França advém do fato de a Mauritânia ter sido colônia de exploração francesa entre 1908 (ou 1920, de acordo com a Embaixada da Mauritânia em Washington) e 1960 (a independência é comemorada no dia 28 de novembro).
A República Islâmica da Mauritânia tem 3 milhões de habitantes. É banhada pelo Oceano Atlântico a Oeste, e faz fronteira com o Saara Ocidental, Mali e Senegal. A capital do país é Nouakchott, com cerca de 600 mil habitantes. Os idiomas oficiais são o árabe e o francês (utilizado basicamente para comunicações oficiais). Outras línguas e dialetos também são faladas na região, como hassniya, soninké e oulof. A religião predominante (100% da população) é a muçulmana. A moeda é a Ouguiya. A Mauritânia é uma República unitária, e seu regime de governo é o presidencialista.
O lema do país é Honneur, Fraternité, Justice (Honra, Fraternidade e Justiça), e as leis vigentes são uma combinação da lei islâmica com o código civil francês, o que reforça a influência francesa sobre a nação. Há o presidente e um Conselho de Ministros. O primeiro Ministro, escolhido pelo presidente, é Sidi Mohamed Ould Boubacar (desde 7 de agosto de 2005). O Presidente do Conselho Militar para Justiça e Democracia é Elv Ould Mohamed Vall. O presidente do país, Muauía Uld Sidi Ahmed Taya, foi deposto pelo Conselho Militar para a Justiça e a Democracia em agosto deste ano, após mais de 20 anos se mantendo no poder através de eleições fraudulentas e de um regime autoritário.
O país está localizado a noroeste da África. Dois terços do território é ocupado pelo deserto do Saara (onde predomina o clima quente e seco, e vegetação de planícies cobertas por dunas de areia). A atividade agrícola é exercida apenas numa estreita faixa de terras ao sul do país, ao longo do Rio Senegal (única fonte de água potável do país) e concentra-se no cultivo de cereais e tâmaras, além da pecuária. A extração de minério de ferro - produto do qual a Mauritânia tem uma das maiores reservas do mundo - e a pesca marítima são as principais fontes de receita. Gesso, cobre e fosfato são outros recursos naturais explorados no país.
A Mauritânia é o 28° maior país do mundo, com uma área de 1.030.700km². Os recursos aquáticos são desprezíveis (apenas 300km² da área total do país). Há 754km de litoral. Podem ocorrer tempestades de areia e ocorrem secas periódicas. As cidades concentram-se nas margens do único rio do país.
A expectativa de vida da população é baixa (52,73 anos). A taxa de alfabetização é de 41,7%. Metade da população vive abaixo da linha de pobreza. O desemprego atinge 23% da população economicamente ativa do país. E a taxa de fertilidade é de 5,94 filhos por mulher!
Em termos tecnológicos, o país vem tentando crescer cada vez mais. Em 2000, havia 20 mil linhas telefônicas e 14 mil telefones celulares, 360 mil rádios e 1 emissora de televisão. A Universidade de Nouakchott dedica-se à pesquisa de Ciência e Tecnologia, e é também quem cuida do registro de domínios .mr na internet.
A cultura do país é bastante rica. É na Mauritânia que nasceu Abderrahmane Sissako, cineasta famoso por filmes como o premiado "Heremakono" (À Espera da Felicidade) e "A Vida sobre a Terra" (este último retrata o contraste entre a Europa e a África, e o massacre econômico e cultural operado pela primeira sobre a segunda).
Os descendentes dos povos árabe e bérbere são a maioria no país. No passado, eram principalmente nômades, o que explica as influências do sul da África e do Deserto do Saara, bem como de tradições árabes, em sua cultura. O tuaregue é um dos últimos povos nômades do mundo. Alguns membros desse povo ainda vivem como pastores, atravessando o deserto do Saara em caravanas de camelos. As mulheres vestem tradicionais túnicas de índigo, que incluem o tagilmust (turbante que cobre o rosto delas a fim de protegê-las do sol) e a espada. Eles falam tamarshak, um idioma bérbere.
O hino nacional da Mauritânia foi feito a partir de um poema de Baba Ould Cheikh, um poeta e líder religioso do país. Foi escrito por volta do fim do século XIX e adotado como hino em 1960, na ocasião da independência do país. A bandeira foi escolhida em 1959. As cores verde e dourada são consideradas cores pan-africanas. O verde é a cor do Islã, e o dourado simboliza as areias do deserto do Saara. O crescente e a estrela são símbolos do Islã - maior religião do país. Seria o equivalente à cruz para o cristianismo. Esses símbolos também estão presentes nas bandeiras de vários outros países que adotam a mesma religião, como o Egito, o Paquistão, a Turquia, etc.




Comentários:

Anonymous Carol disse:
e o q a profª falou? :D quero saber logo a nota!!
ahh.. tirei 9 no trab d cidades invisíveis :/ n gostei n!
bjos
 
Blogger Gabriela Zago disse:
no fim a prof me deu 9,9 no trabalho da mauritânia.. grrr... por conta dos erros de PORTUGUÊS!! :P hauahuhaua
q crueldade....
 


Participe desta conversação :)



<< Voltar para o blog
flickr
   

 feed

receba as atualizações do blog por e-mail



categorias academicismos
amenidades
blogs
direito
filmes
google
internet
livros
memes
mídia
orkut
politiquês
querido diário
stumbles
tecnologia


sobre
about me
del.icio.us
flickr
last.fm
orkut
43metas
nano novel
textos
flog
stumbleupon
Gilmore Girls





blogroll
animaizinhos toscos
argamassa
ariadne celinne
atmosfera
bereteando
blog de lynz
blog del ciervo ermitaño
direito de espernear
direito e chips
dossiê alex primo
efervescendo
enfim
every flower is perfect
garotas zipadas
giseleh.com
grande abóbora
hedonismos
il est communiqué
jornalismo de resistência
jornalismo na web 2.0
lavinciesca
marmota
novos ares
pensamentos insanos
rafael gimenes.net
reversus
sententia
universo anárquico
vidacurta.net
vejo tudo e não morro
w1zard.com


arquivo
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007


etc.










Save the Net

Stumble Upon Toolbar

Creative Commons License

Official NaNoWriMo 2006 Winner