terça-feira, 27 de setembro de 2005

  Romance

A idéia era escrever um romance bobo, estilo água com açúcar... e ficou uma droga mesmo :P

Sonhos adolescentes (título provisório)

Desde que chegou à festa, Maria não parava de olhar para o João. E seu olhar parecia ser correspondido. Cada vez que disfarçava para olhá-lo (num disfarce suficiente para não parecer que o olhava, ao mesmo tempo que fosse perceptível que o via), notava que João meneava a cabeça, como se se esquivasse rapidamente, com medo de ser flagrado olhando a ser olhado. Por um instante, Maria chegou a crer que seus olhos se encontraram. Mas foi por uma fração tão ínfima de segundo que em seguida passou a crer tratar-se de ilusão.
A moça estava deslumbrante. Embora não fosse muito bonita, transbordavam-se os elogios. Maria estava com um lindo vestido de seda e tafetá azul, que ela mesma desenhara e costurara, contando com uma pequena ajuda de sua irmã mais nova para os ajustes do bordado. A irmã mais nova ficara em casa. O baile era restrito para maiores de idade. Maria sentia-se feliz por finalmente ter completado 18 anos. Sentia-se livre. Finalmente poderia penetrar no mundo dos adultos. Finalmente poderia observar João sem culpa. Poderia vê-lo a todo instante, poderia freqüentar os mesmos salões que ele. Vinham do mesmo nível social. Não sabiam, mas tinham os mesmos gostos para música e livros. Entretanto, João tinha o triplo de sua idade. Era o melhor amigo de seu pai.
Mas a jovem parecia desconsiderar esse detalhe. Amava-o, como nunca antes amara ninguém. Desejava-o, sem nem ao menos entender o que era ou de onde vinha esse desejo, a princípio puro e inocente, como tudo o que poderia vir da mente virgem de uma menina de 18 anos.
Quando começaram as músicas no salão, Maria afastou-se de suas amigas, de modo a ficar em um ponto estratégico, onde pudesse ser vista por João. João a notaria sozinha a um canto e correria para os seus braços. O plano era perfeito! De fato, João percebeu que Maria estava sozinha no meio da dança. E foi mais por cordialidade que qualquer outra coisa, em respeito à amizade de anos com seu pai, que João decidiu aproximar-se de Maria e convidá-la para dançar. Maria estava delirante. Durante a dança (meia dança, pois a música aproximava-se do final), esforçava-se por disfarçar seu nervosismo, engolia a seco toda vez que se achava prestes a suspirar e apertava firme as mãos de João quando suas pernas ameaçavam bambar. Perto do final da música, sentia que seu coração estava prestes a saltar-lhe pela boca, tamanho era o êxtase que vivia. Queria que aquele momento durasse para sempre! Era um sonho adolescente a se concretizar. Por fim, João despediu-se secamente, recomendando que Maria desse lembranças a seu pai. Maria entendeu a despedida como uma maneira disfarçada de dizer que também a amava, e que talvez tivesse intenções de pedir-lhe a mão a seu pai. E passou a amá-lo ainda mais.
Voltou para onde estavam as amigas. Mas recusou-se a contar o que o largo sorriso dos seus lábios cismava em querer denunciar. Parecia que Maria era cúmplice da confissão não proferida de João. Maria era também a única cúmplice de seus próprios pensamentos. A magia corria o risco de sumir se por um acaso alguém mais soubesse de sua paixão secreta por João. Amor escondido é mais divertido. Afinal, não era culpa de Maria que tudo o que fosse proibido acabasse por ser assim. Ela suspirava sem cessar. As amigas perguntavam. Maria não cedia. Por fim, para despistá-las, disse que suspirava por Jerônimo, seu vizinho irritante cheio de espinhas na cara. E, de tanto insistir na mentira, acabou virando verdade. Naquele instante, passou a ver o amigo com outros olhos. Chegou ao ponto de convidá-lo para dançar. Jerônimo recusou. Disse que Maria parecia uma amora estragada, num vestido estranho e tão cheio de panos quanto aquele. E então Maria esqueceu-se de João, e pôs-se a chorar.




Comentários:

Anonymous Ian disse:
A moda agora é lançar livro pongueiro né? Por exemplo temos o livro "O código Da Vinci", depois dele surgiram vários outros "decifrando o código da vinci", "decodificando o codigo da vinci, "esmiuçando o codigo da vinci". Enfim, pensei eu... lançá-lo-ei o texto: "interpretando os sonhos adolescentes".
Trata-se pois de uma história que se passa a muito tempo atrás, haja visto a preocupação da autora em descrever a o vestido de Maria, como também o salão onde a garota dançara. Porém, a confirmação da época a qual se passa a história está na frase: "mente virgem de uma menina de 18 anos". Hoje em dia uma garota de 18 anos com a mente virgem é impossível.

hehehehe, acho q empolguei ó... legalzinho o texto Gabi, me senti no salão vestido a caráter, quase até chamei a moça pra dançar. vc mesma quem fez? bjinho
 
Anonymous Carol disse:
qnd vi q os personagens eram "joão e maria" pensei q fosse uma daquelas historinhas românticas besta hehehehehe

mas ta mto bom o texto.. como ja disse, vc escreve mto bem ;) só n gostei do final! tipo.... logo no final vc acelerou pra acabar! aff.. deveria ter entrado mais em detalhes!!
bjão!
 


Participe desta conversação :)



<< Voltar para o blog
flickr
   

 feed

receba as atualizações do blog por e-mail



categorias academicismos
amenidades
blogs
direito
filmes
google
internet
livros
memes
mídia
orkut
politiquês
querido diário
stumbles
tecnologia


sobre
about me
del.icio.us
flickr
last.fm
orkut
43metas
nano novel
textos
flog
stumbleupon
Gilmore Girls





blogroll
animaizinhos toscos
argamassa
ariadne celinne
atmosfera
bereteando
blog de lynz
blog del ciervo ermitaño
direito de espernear
direito e chips
dossiê alex primo
efervescendo
enfim
every flower is perfect
garotas zipadas
giseleh.com
grande abóbora
hedonismos
il est communiqué
jornalismo de resistência
jornalismo na web 2.0
lavinciesca
marmota
novos ares
pensamentos insanos
rafael gimenes.net
reversus
sententia
universo anárquico
vidacurta.net
vejo tudo e não morro
w1zard.com


arquivo
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007


etc.










Save the Net

Stumble Upon Toolbar

Creative Commons License

Official NaNoWriMo 2006 Winner