quinta-feira, 8 de setembro de 2005

  Mitologias

Aproveitei o feriado para [terminar de] ler o livro Mitologias, de Roland Barthes. Já havia lido, anteriormente, o capítulo final da obra, que fala dos aspectos formais de um mito ("Barthes's understanding of myth is the notion of a socially constructed reality which is passed of as `natural'"*). O que me faltava era ler a primeira parte do texto, que é composta por diversas análises feitas pelo autor, no formato de artigos jornalísticos, acerca dos mitos que rondavam a sociedade francesa no período pós-2ª guerra mundial.

A obra está totalmente vinculada à realidade histórica vivida pelo autor (e, por vezes, sua leitura torna-se bastante cansativa, quase enfadonha). Alguns capítulos tratam de questões muito específicas, que possam não interessar a um leitor do século XXI. Entretanto, a grande parte dos textos é bastante interessante, apresentando assuntos ainda de relevância para os tempos atuais...

Um dos capítulos que mais me chamou a atenção é intitulado "Brinquedos". Barthes faz uma análise bastante realista dos brinquedos com que as crianças brincam à sua época: "O adulto francês considera a criança como um outro eu; nada o prova melhor do que o brinquedo francês." (...) "o brinquedo francês, de um modo geral, é um brinquedo de imitação [do mundo dos adultos], pretende formar crianças-utentes e não crianças criadoras."
Brinquedos assim fazem com que a criança perca a capacidade de abstração (altamente produzível com objetos arcaicos, como bonecos de madeira e argolas de metal), e com que sua hora de brincadeira acabe se tornando em uma verdadeira escola de "como ser adulto" (quem nunca brincou de cabeleireiro das bonecas, se menina, ou vivenciou o mundo dos transportes, se menino?). De certo modo, até mesmo brincando as crianças estão aprendendo a lidar com a vida adulta -- ao invés de estarem desenvolvendo seu intelecto, o que seria importante para que essa mesma criança pudesse um dia resistir aos modelos pré-estabelecidos. A criança é preparada para aceitar a realidade futura, sem pensar em transformá-la. Aí reside o mito.
O mais curioso disso tudo é que o livro foi escrito entre 1954-1956. E até hoje, aparentemente, ninguém fez nada para mudar isso. Os brinquedos seguem sendo meras cópias miniaturizadas do mundo dos adultos, dando margem a pouca -- ou nenhuma -- capacidade de reflexão por parte das crianças.

Há outros capítulos interessantes na obra, como "Saponáceos e Detergentes", "Marcianos", "Gramática Africana", "Conjugais" e "O Vinho e o Leite".
À propósito de Conjugais, há uma passagem bastante curiosa. Ao falar de um casamento, Barthes descreve a noiva como "(...) bem sucedida, visto que tem o diploma do curso secundário e fala inglês fluentemente." Hoje em dia, essa mesma moça teria que ter no mínimo o título de Mestre, 2 ou 3 empregos e falar uns 3 ou 4 idiomas para ostentar o título de "bem sucedida"... É... coisas dos tempos modernos...

* Obs: citação de Tony McNeill, em "Roland Barthes: Mythologies (1957)" -- recomendo a leitura :P

Marcadores:


flickr
   

 feed

receba as atualizações do blog por e-mail



categorias academicismos
amenidades
blogs
direito
filmes
google
internet
livros
memes
mídia
orkut
politiquês
querido diário
stumbles
tecnologia


sobre
about me
del.icio.us
flickr
last.fm
orkut
43metas
nano novel
textos
flog
stumbleupon
Gilmore Girls





blogroll
animaizinhos toscos
argamassa
ariadne celinne
atmosfera
bereteando
blog de lynz
blog del ciervo ermitaño
direito de espernear
direito e chips
dossiê alex primo
efervescendo
enfim
every flower is perfect
garotas zipadas
giseleh.com
grande abóbora
hedonismos
il est communiqué
jornalismo de resistência
jornalismo na web 2.0
lavinciesca
marmota
novos ares
pensamentos insanos
rafael gimenes.net
reversus
sententia
universo anárquico
vidacurta.net
vejo tudo e não morro
w1zard.com


arquivo
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Outubro 2006
Novembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Março 2007
Abril 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007
Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007


etc.










Save the Net

Stumble Upon Toolbar

Creative Commons License

Official NaNoWriMo 2006 Winner